Murphy e Bingtao nas ‘meias’ do Welsh Open

Snooker 14-02-2020 22:02
Por António Barroso

O inglês Shaun Murphy, de 37 anos, décimo do ‘ranking’ (e campeão mundial em 2005) e o adolescente chinês Yan Bingtao, de 19 anos, 20.º da hierarquia, vão defrontar-se sábado às 19 horas, na segunda meia-final do Open de Gales, prova da época 2019/2020 do World Snooker Tour a decorrer em Cardiff até domingo, dia 16 do corrente mês, após vencerem, nos dois últimos jogos dos quartos de final, disputados na noite desta sexta-feira, Judd Trump (5-3) e John Higgins (5-1), respetivamente.

 

Murphy, ‘The Magician (o ‘mágico’) voltou a bater o seu compatriota, número um e campeão mundial (2019), num jogo emotivo e com vários momentos fulcrais. Como o enorme ‘chouriço’ na bola rosa que deu o 1-0 a Shaun, ou a espantosa recuperação, com jogo defensivo, para resgatar o quarto parcial e fazer o 3-1 ao intervalo: depois de Judd ter, com uma centenária (126 pontos) empatado 1-1 e Murphy respondido com entrada de 96 pontos para voltar a liderar (2-1), Trump anotou ‘break’ de 56 pontos e chegou aos 70 pontos, mas com snookers Murphy resgatou o parcial para si. Impressionante.

 

Reverso da medalha no recomeço. Judd voltou a voar no pano verde para 66 pontos de enfiada, mas, já a precisar de faltas do rival, Shaun decidiu (mal) atacar uma vermelha e não mandar repetir, após Trump ter ficado snooker e falhar. Murphy também falhou e em vez de 1-4, Trump teve o 2-3.

 

O ‘toma lá, dá cá’ de altíssimo nível, com Murphy a revelar exímio jogo defensivo - além do poder inacreditável de entrada na branca - continuou com Shaun, à primeira aberta, a anotar também ele centenária (101 pontos) para o 4-2. Mas uma desastrada vermelha falhada deixou as encarnadas espalhadas para Judd também somar centenária (100 pontos) e encostar a 3-4.

 

Depois dos 6-3 ao mesmo rival no Masters, a 14 de janeiro, Shaun arrancou entrada de 52 pontos para, com jogo defensivo, selar o 5-3 e segunda vitória de rajada sobre Judd: é o ‘antiTrump’ da temporada, confirma-se.

 

No outro duelo dos quartos de final desta sessão noturna, enorme surpresa, com Bingtao, vencedor do Riga Masters (Letónia), a deixar pelo caminho o recordista de vitórias na prova (com cinco), o escocês John Higgins, de 44 anos, sexto da tabela, tetracampeão mundial (1998, 2007, 2009 e 2011) e finalista vencido das três últimas edições do Campeonato do Mundo (2017, 2018 e 2019).

 

Um ‘break’ de 66 pontos deu o 1-0 ao asiático, que selou o 3-0 com centenária (100 pontos exatos) antes de Higgins atenuar ao intervalo (1-3). Mas entrada de 55 pontos deu o 4-1 a Bingtao. John ainda, com brio de campeão e ‘break’ de 56 pontos, fez o 2-4, mas o chinês acabou com tudo com nova entrada ganhadora, de 61 pontos, para defrontar Murphy nas meias-finais: até agora, jogaram por cinco vezes,  Shaun ganhou três e Yan outras duas.

 

A outra meia-final, a jogar na tarde de sábado (13 horas), irá, recorde-se, colocar frente a frente os ingleses Ronnie O’Sullivan – que venceu Mark Selby por 5-1 – e Kyren Wilson (bateu Neil Robertson por 5-0) -, a partir das 13 horas de sábado.

 

As ‘meias’, sábado, são jogadas à melhor de 11 parciais: seguem para a final os primeiros a chegar a seis (de 6-0 a possíveis 6-5). Em jogo no Welsh Open, torneio pontuável para o ‘ranking’ e da época 2019/2020 do World Snooker Tour – quarta prova das Home Nations Series, transmitida para Portugal (EuroSport) - estão £70 mil (€83.801) para o campeão, que sucederá a Neil Robertson, e total de £405 mil (€484.848) de prémios.

 

Quartos de final, esta 6.ª feira (apurados a negro):

Mark Selby-Ronnie O’Sullivan, 1-5

Neil Robertson-Kyren Wilson, 0-5

Yan Bingtao-John Higgins, 5-2

Shaun Murphy-Judd Trump, 5-3

 

Meias-finais, sábado (hora local e de Portugal continental):

Kyren Wilson-Ronnie O’Sullivan (13 horas)

Yan Bingtao-Shaun Murphy (19 horas)

A PAIXÃO CONTINUA EM CASA


O momento particular que vivemos determina a permanência das pessoas em casa além do fecho de todas as lojas comerciais alterando dramaticamente os hábitos das pessoas no que toca à leitura e ao acesso à informação.

Neste momento de grandes dificuldades para todos, estamos a trabalhar a 100% para continuar a fazer-lhe companhia todos os dias com o seu jornal A Bola , o site ABOLA.pt e no canal A Bola Tv.

Mas este trabalho só vale a pena se chegar aos seus clientes de sempre sem os quais não faz sentido nem é economicamente sustentável.

Para tanto precisamos que esteja connosco, que nos faça companhia, assinando a versão digital de A Bola e aproveitando a nossa campanha de assinaturas.

ASSINE JÁ

Ler Mais
Comentários (0)

Últimas Notícias