Neil atinge 3.ª final seguida em 15 dias no World Grand Prix

Snooker 08-02-2020 22:45
Por António Barroso

O australiano Neil Robertson, de 37 anos, segundo do ranking (e campeão mundial em 2010) apurou-se na noite deste sábado para a final do World Grand Prix, prova da época 2019/2020 do World Snooker Tour, ao vencer, na segunda meia-final do torneio, a decorrer até domingo, dia 9 do corrente mês, em Cheltenham (Inglaterra), o inglês Kyren Wilson, de 28 anos, oitavo da hierarquia, por 6-4.

 

Neil defronta na final – a sua terceira consecutiva em três torneios e em 15 dias (!), após vencer o European Masters, em Dornbirn, Áustria, a 26 de janeiro (9-0 a Zhou Yuelong na final), perder 6-9 para Judd Trump a 2 do corrente mês o duelo decisivo do German Masters, em Berlim… e quarta da época, na qual venceu ainda a Champion of Champions (10-9 a Judd Trump), esta última a única prova não de ranking - o escocês Graeme Dott, de 42 anos, 19.º da hierarquia (e campeão mundial em 2006), que na primeira meia-final, disputada na noite de sexta-feira, bateu o inglês Tom Ford, por 6-4.

 

No histórico de confrontos diretos entre ambos até à data, em 18 jogos Robertson – que procura um 18.º título em provas de ranking, e superar o inglês Mark Selby (somam 17, cada um) venceu 11 e Dott (dois títulos em provas de ranking, tenta o terceiro) os outros sete encontros.

 

Da meia-final da noite deste sábado, Neil entrou a todo o gás e chegou a 3-0 numa hora de jogo, com entradas de 80, 59 e 77 pontos – primeiro, segundo e terceiro frames, respetivamente – a chegarem para cavar o fosso para o inglês, que eliminou Judd Trump (4-3) e John Higgins (5-4) na prova, mas não mostrou argumentos para o australiano até ao quarto parcial, em que break de 71 pontos lhe deu o 1-3.

 

Kyren tinha de arriscar tudo após o intervalo. Assim fez e entrada de 46 pontos e o possível 2-3 caíram por terra com uma branca num buraco e a azul final que poderia ter embolsado. Bola a bola, paciente, Neil fez o 4-1, momento decisivo do jogo. Altura para a fibra de Wilson, a parecer outro após o descanso, vir à tona: entrada de 73 pontos (e 67 possíveis na mesa) e vitória no sexto frame, para 2-4, selada num snooker a Neil. O inglês encostou a 3-4 logo após, com uma centenária, de 129 pontos. Emoção relançada num duelo que pareceu decidido.

 

O Neil mais titubeante da segunda metade entrou no oitavo parcial bem, a chegar a 18-0 mas a falhar uma vermelha para o meio. Os nervos a surgirem, mas também para Kyren, que chegou a 19 e imitou-o, deixando bola disponível para o australiano, com break de mais 69 pontos, acelerar para o 5-3. Kyren estaba obrigado a vencer três em três. O primeiro, com êxito, graças a uma entrada de 84 pontos, para o 4-5. Depois, Robertson desperdiçou, na 10.ª partida, chance de acabar com o jogo ao falhar a castanha após conseguir o primeiro ponto... e Wilson ganhou nova vida, com possibilidade de pontuar até 29 pontos. Deixou uma vermelha apetecível junto a um dos buracos do meio da mesa e o australiano, com uma entrada de 68 pontos, avançou para a final.

 

O World Grand Prix pontua para o ranking e é a primeira de três provas do conjunto Coral Series - com Players Championship e o Tour Championship – para o qual há bónus de 100 mil libras (117.905 euros) à espera do jogador que mais amealhar nos três, além de levar a Taça Coral, título que Ronnie O’Sullivan conquistou em 2019 e defendia.

 

O torneio, transmitido para Portugal (EuroSport), é reservado aos melhores 32 do ranking a um ano, atribui £400 mil (€471.443) em prémios, das quais £100 mil (€117.861) ao campeão - sucederá a Judd Trump – e £40 mil (€47.144) ao vice-campeão, verba mínima que Graeme Dott e Neil Robertson tem garantida, no mínimo. Chegar às meias valeu a Tom Ford e a Kyren Wilson £20 mil (£23.572).

 

A final do Grande Prémio Mundial é domingo, dia 9 do corrente mês, em duas sessões - oito frames na primeira, às 13 horas, os restantes possíveis 11 a partir das 19 horas -, à melhor de 19: é campeão o primeiro a chegar a dez (10-0 a possíveis 10-9).

 

Meias-finais (apurados a negro):

Graeme Dott-Tom Ford, 6-4

Kyren Wilson-Neil Robertson, 4-6

 

Final do World Grand Prix, domingo (hora local e de Portugal continental):

Graeme Dott-Neil Robertson (13 e 19 horas)

A PAIXÃO CONTINUA EM CASA


O momento particular que vivemos determina a permanência das pessoas em casa além do fecho de todas as lojas comerciais alterando dramaticamente os hábitos das pessoas no que toca à leitura e ao acesso à informação.

Neste momento de grandes dificuldades para todos, estamos a trabalhar a 100% para continuar a fazer-lhe companhia todos os dias com o seu jornal A Bola , o site ABOLA.pt e no canal A Bola Tv.

Mas este trabalho só vale a pena se chegar aos seus clientes de sempre sem os quais não faz sentido nem é economicamente sustentável.

Para tanto precisamos que esteja connosco, que nos faça companhia, assinando a versão digital de A Bola e aproveitando a nossa campanha de assinaturas.

ASSINE JÁ

Ler Mais
Comentários (0)

Últimas Notícias