Dott bate Ford (6-4) e espera Neil ou Kyren na final do Grand Prix

Snooker 07-02-2020 22:31
Por António Barroso

O escocês Graeme Dott, de 42 anos, 19.º do ‘ranking’ (e campeão mundial em 2006), apurou-se na noite desta sexta-feira para a final do World Grand Prix, prova da época 2019/2020 do World Snooker Tour a decorrer até domingo, dia 9 do corrente mês, em Cheltenham, ao vencer na primeira das meias-finais do torneio o inglês Tom Ford, de 36 anos, 22.º da hierarquia, por 6-4.

 

Depois do Mundial (2006) e do China Open (2007), o ‘Pocket Dínamo’ escocês, que chegou a ser número dois da hierarquia em 2007/2008, provou que tudo menos por acaso bateu Ronnie O’Sullivan na ronda anterior (5-3) e está a uma vitória de terceiro título em provas de ‘ranking’. Ele que não atingia uma final há duas épocas: perdeu  em 2018 as do German Masters (1-9 ante Mark Williams) e ‘Shoot Out’ (0-1 para Michael Georgiou, 56-67).

 

Uma meia-final em que se testemunhou um Dott rápido e furioso de início: entradas de 81 e 67 pontos logo de entrada, para ficar a liderar 2-0, com Ford a recuperar e igualar (2-2) ao intervalo.

 

O renascer de Tom Ford, que tentava segunda final da carreira, quatro anos desde a única que atingiu – 2-4 para Mark Selby, no Paul Hunter Classic de 2016, na Alemanha – confirmou-se após o intervalo. E tal como sucedeu a Ronnie ante Dott, na véspera, ao atacar a azul e espalhar vermelhas com a branca, Ford embolsou uma. Falta, Graeme aproveitou para seguir na frente: 3-2.

 

Contrariedade que não empalideceu o momento de Ford: entradas de 91 e 89 pontos, nos quinto e sexto parciais, valeram-lhe o 3-3 e liderar o marcador pela primeira vez, a 4-3. Resposta de Dott para o 4-4: ‘break’ de 70 pontos. E primeira centenária para o 5-4: 103 pontos, com amarela espetacular. Confiança a rodos de Graeme, na 10.ª partida, a avançar para o 6-4 após snooker ao rival e tacada em que embolsou duas encarnadas e desbloqueou por completo as bolas na mesa, antes de fechar com uma vermelha cruzada de… classe.

 

Dott espera agora rival na final de domingo: ou o australiano Neil Robertson, de 37 anos, segundo do ‘ranking’ (e campeão mundial em 2010) – que à tarde venceu, nos ‘quartos’, o inglês Joe Perry, de 45 anos, 16.º da tabela mundial, por 5-1, após estar a perder (0-1) e com mais uma centenária (140 pontos, quarto parcial) -, ou o inglês Kyren Wilson, de 28 anos, oitavo da hierarquia.

 

Kyren, ‘The Warrior’ (‘o guerreiro’), que na quinta-feira bateu o número um e campeão mundial, Judd Trump, por 4-3, nos ‘oitavos’, após tenso e emotivo sétimo parcial, continuou na Centaur Arena, salão de festas do hipódromo de Cheltenham, a dizimar favoritos: agora foi o escocês John Higgins, de 44 anos, sexto do ‘ranking’ (e tetracampeão mundial, 1998, 2007, 2009 e 2011) a cair, nos quartos de final,  numa maratona de quatro horas e meia: 5-4.

 

O World Grand Prix pontua para o ‘ranking’ e é a primeira de três provas do conjunto Coral Series - com Players Championship e o Tour Championship – para o qual há bónus de 100 mil libras (117.905 euros) à espera do jogador que mais amealhar nos três, além de levar a Taça Coral, título que Ronnie O’Sullivan conquistou em 2019 e defendia.

 

O torneio, transmitido para Portugal (EuroSport), é reservado aos melhores 32 do ‘ranking’ a um ano, atribui £400 mil (€471.621) em prémios, das quais £100 mil (€117.905) ao campeão - sucederá a Judd Trump – e £40 mil (€47.162) ao vice-campeão, verba mínima que Graeme Dott tem já garantida. As ‘meias’ valeram a Tom Ford £20 mil (£23.581), tal como a Neil e a Kyren, que podem somar mais…

 

A segunda meia-final, na noite de sábado, dia 8 do corrente mês, entre Neil e Wilson (19 horas) ainda é jogada à melhor de 11 ‘frames’: o rival de Graeme Dott será o primeiro a vencer seis (6-0 a possíveis 6-5). A final é domingo, à melhor de 19: é campeão o primeiro a chegar a dez (10-0 a possíveis 10-9).

 

Últimos jogos dos quartos de final, esta 6.ª feira (apurados a negro):

Kyren Wilson-John Higgins, 5-4

Neil Robertson-Joe Perry, 5-1

 

Meias-finais (apurado a negro):

Graeme Dott-Tom Ford, 6-4

Kyren Wilson-Neil Robertson (sábado, 19 horas)

 

Final do World Grand Prix, domingo:

Graeme Dott-Kyren Wilson/Neil Robertson (13 e 19 horas)

A PAIXÃO CONTINUA EM CASA


O momento particular que vivemos determina a permanência das pessoas em casa além do fecho de todas as lojas comerciais alterando dramaticamente os hábitos das pessoas no que toca à leitura e ao acesso à informação.

Neste momento de grandes dificuldades para todos, estamos a trabalhar a 100% para continuar a fazer-lhe companhia todos os dias com o seu jornal A Bola , o site ABOLA.pt e no canal A Bola Tv.

Mas este trabalho só vale a pena se chegar aos seus clientes de sempre sem os quais não faz sentido nem é economicamente sustentável.

Para tanto precisamos que esteja connosco, que nos faça companhia, assinando a versão digital de A Bola e aproveitando a nossa campanha de assinaturas.

ASSINE JÁ

Ler Mais
Comentários (0)

Últimas Notícias