Robertson arrasa Zhou (9-0) e conquista 17.º título no European Masters

Snooker 26-01-2020 19:38
Por António Barroso

O australiano Neil Robertson, de 37 anos, campeão mundial em 2010 e agora terceiro da hierarquia (passou Ronnie O'Sullivan e Mark Selby no presente torneio) conquistou o European Masters, seu 17.º título da carreira em provas pontuáveis para o ranking do World Snooker Tour, ao cilindrar (9-0) o chinês Zhou Yuelong, de 22 anos, 25.º da tabela mundial, na final do torneio, que se concluiu na noite deste domingo em Dornbirn (Áustria).

 

Zhou foi uma sombra de si mesmo e estreou-se da pior forma numa final de provas de ranking, quando, depois de Yan Bingtao (Masters de Riga) e Ding Junhui (UK Championship) tentava, além de um primeiro título individual, dar à China terceira vitória em torneios da época 2019/2020. Mas foi Neil Robertson, na sua 27.ª (!) final, a igualar Mark Selby em títulos de ranking ganhos na carreira: soma agora os mesmos 17 do tricampeão mundial (2014, 2016 e 2017) inglês.

 

Um jogo que se decidiu na primeira sessão, à tarde, que acabou com inacreditáveis 8-0. Zhou podia ter ganho os dois parciais inaugurais, equilibrados, mas escaparam-se-lhe. O asiático acusou em demasia a estreia em finais e só esteve à altura da responsabilidade na sexta e sétima partidas, sem sucesso: da Oceânia, e sem culpa dos deméritos do chinês, Robertson capitalizou sempre os frames equilibrados para o seu lado, mesmo o inaugural, em que entrada de 57 pontos do australiano poderia não ter chegado.

 

Depois, o talento e arte de um Neil, e a sua experiência, transformaram a final num treino: duas centenárias, nos 4.º e 8.º parciais (128 e 109 pontos, respetivamente) e duas entradas ganhadoras, de 99 e 82 pontos, nas 3.ª e 5.ª, explicam inapelável 8-0 após a sessão da tarde. Resultado tão desnivelado e pesado, que remeteu a sessão noturna para mera formalidade – faltava um frame a Neil para vencer  – e a deixar a deitar contas à vida os espectadores que pagaram bilhete para a segunda sessão de uma final sem história, de tão desequilibrada, resumida em arrasadores números, e onde cedo se percebeu que emoção seria utopia.

 

Na sessão noturna, a confirmação rápida, em 40 minutos, de que não era o dia de Zhou: chegou a 37-0, viu Neil recuperar para ficar a liderar a 46-45 e quando embolsou a última) vermelha, Yuelong viu a branca entrar num dos buracos. O bom jogo defensivo do australiano acabou com o jogo - e o torneio - logo no frame inaugural noturna: 9-0.

 

O Masters da Europa, primeiro de quatro das European Series e prova da época 2019/2020 do WST, distribuiu £407 mil (€482.416) em prémios, das quais £80 mil (€94.824) a Robertson e £35 mil (€41.485 euros) a Yuelong. O jogador que amealhar mais dinheiro na soma dos quatro European Series (faltam German Masters, ‘Shoot Out’ e Open de Gibraltar) terá bónus de £150 (€177.795) da World Snooker. O australiano sai na frente. Se Neil vencer os quatro torneios, aos £260 mil (€308.177) do prémio máximo nas provas junta o bónus: pode chegar, no limite, a chorudas £410 mil (€485.972).

 

German Masters 4.ª feira em Berlim sem Ronnie e Selby

 

O World Snooker Tour vai parar apenas dois dias, segunda e terça-feira: já na quarta-feira, dia 29 do corrente mês, e até domingo, 2 de fevereiro, realiza-se em Berlim o German Masters, no qual Ronnie O’Sullivan não participou nas qualificações, enquanto Mark Selby foi eliminado na qualificação (4-5 ante o galês Jamie Clarke) para os 32 que vão estar na fase final da prova, a 10.ª pontuável para o ranking na época 2019/2020.

 

O Masters da Alemanha é a segunda prova das European Series, após o European Masters, e também transmitida para Portugal (EuroSport). Atribui £400 mil (€474.119) de prémios, das quais £80 mil (€94.824) ao campeão: Kyren Wilson venceu em 2019 (9-7 a David Gilbert na final).

 

Os jogos no Masters da Alemanha serão à melhor de nove parciais até aos quartos de final (inclusive): vence o primeiro a conquistar cinco partidas (de 5-0 a possíveis 5-4).  As meias em Berlim serão jogadas à melhor de 11 frames, até um vencer seis (de 6-0 a possíveis 6-5) e a final à melhor de 17 parciais: é campeão do torneio o primeiro a chegar a nove: de 9-0 a possíveis 9-8.

 

Final do Masters da Europa, este domingo (campeão a negro):

Neil Robertson-Zhou Yuelong, 9-0

 

16avos de final do German Masters, 4.ª e 5.ª feira (hora de Portugal continental):

Mark Williams-Yuan SiJun (4.ª feira, 13 horas)

Tian Pengfei-Graeme Dott (4.ª feira, 13 horas)

Matthew Selt-Jamie Clarke (4.ª feira, 13 horas)   

Kishan Hirani-Nigel Bond (4.ª feira, 19 horas) 

Gerard Greene-Michael Georgiou (4.ª feira, 19 horas)

David Grace-Sunny Akani (4.ª feira, 19 horas)

Luca Brecel-Joe Perry (4.ª feira, 19 horas)     

Noppon Saengkham-Judd Trump (4.ª feira, 19 horas)

Scott Donaldson-Ding Junhui (5.ª feira, 9 horas)  

John Higgins-Robbie Williams (5.ª feira, 9 horas)

Alexander Ursenbacher-Mitchell Mann (5.ª feira, 9 horas)

Zhao Xintong-Anthony McGill (5.ª feira, 14 horas)

Jak Jones-Gary Wilson (5.ª feira, 14 horas)

Tom Ford-Shaun Murphy (5.ª feira, 14 horas)

Robert Milkins-Elliot Slessor (5.ª feira, 14 horas)

Ian Burns-Neil Robertson (5.ª feira, 14 horas)

A PAIXÃO CONTINUA EM CASA


O momento particular que vivemos determina a permanência das pessoas em casa além do fecho de todas as lojas comerciais alterando dramaticamente os hábitos das pessoas no que toca à leitura e ao acesso à informação.

Neste momento de grandes dificuldades para todos, estamos a trabalhar a 100% para continuar a fazer-lhe companhia todos os dias com o seu jornal A Bola , o site ABOLA.pt e no canal A Bola Tv.

Mas este trabalho só vale a pena se chegar aos seus clientes de sempre sem os quais não faz sentido nem é economicamente sustentável.

Para tanto precisamos que esteja connosco, que nos faça companhia, assinando a versão digital de A Bola e aproveitando a nossa campanha de assinaturas.

ASSINE JÁ

Ler Mais
Comentários (0)

Últimas Notícias