Da Orquestra Sinfónica no Porto para Ministra

Moçambique 24-01-2020 16:55
Por Alexandre Zandamela, Maputo

Eldevina Materula, a ministra “caçula” do novo Governo moçambicano, foi empossada em Maputo, pelo Presidente da República, Filipe Nyusi, para a pasta da Cultura e Turismo.

 

A substituta de Silva Dunduro tomou posse na mesma cerimónia com Ana Comoana, Ministra da Administração Estatal e Função Pública, e Nyeleti Mondlane, Ministra do Género, Criança e Acção Social.

 

A nova Ministra da Cultura e Turismo, de 37 anos, também conhecida por Kika Materula, viajou da cidade portuguesa do Porto, onde desempenhava as funções de oboé solista, na Orquestra Sinfónica da Casa da Música. Em Moçambique, Eldevina Materula dirige o projecto Xiquitsi, cujo objectivo é tentar a integração, inserção social e capacitação profissional de crianças e jovens, de meios desfavorecidos, por intermédio do ensino colectivo da música. Pretende também criar a primeira Orquestra Sinfónica do país.

 

O projecto valeu à nova Ministra da Cultura e Turismo uma condecoração com a Medalha da Ordem de Mérito, pelo Presidente da República Portuguesa, Marcelo Rebelo de Sousa, em 2016.

 

Reagindo à sua nomeação para o executivo de Filipe Nyusi, Kika disse: «Sinto-me extremamente honrada. Não poderia estar mais feliz, porque isto é sem dúvida o reconhecimento de um trabalho que tenho vindo a desenvolver em Moçambique de forma altamente profissional e sem estar ligado a qualquer partido político.»

 

Eldevina Materula nasceu em Maputo. Iniciou os seus estudos musicais aos sete anos, na Escola de Música, e, aos 13, foi para Portugal estudar na Escola Profissional de Música de Évora, no âmbito de um intercâmbio, e foi aí que descobriu o que era um oboé, o instrumento que toca na Orquestra da Casa da Música, entidade na qual faz parte dos quadros de trabalhadores, mas da qual vai fazer uma "pausa" face às suas novas funções.

 

Com a constituição do Governo, quem realmente deve estar a jubilar é a Escola de Música, pois, para além de Kika Materula, viu também uma sua ex-aluna a ser chamada para o executivo. Trata-se de Ivete Maibaze, Ministra da Terra e Ambiente, jovem quadro que sempre esteve ligada à área do ambiente.

 

Entretanto, ainda no quadro das nomeações para o novo Governo, a diversos níveis, o Presidente da República, Filipe Nyusi, indicou os 11 Secretários de Estado Provinciais, uma figura que surge no quadro da descentralização.

 

Os primeiros Secretários de Estado Provinciais, na história de Moçambique, são Dinis Chambiuane Vilanculos (Niassa), Armindo Saul Atelela Ngunga (Cabo Delgado), Mety Oreste Gondola (Nampula), Judith Emília Leite Mussácula  (Zambézia), Elisa Zacarias (Tete), Edson da Graça Francisco Macuácua (Manica), Stella da Graça Pinto Novo Zeca  (Sofala), Ludmila Mwaa Rafael Maguni (Inhambane), Amosse Júlio Macamo (Gaza), Vitória Dias Diogo (Maputo-província) e Sheila de Lemos Santana Afonso (Maputo-cidade).

 

Ler Mais

Últimas Notícias

Mundos