Mark Selby conquista Open da Escócia

Snooker 15-12-2019 22:06
Por António Barroso

O inglês Mark Selby, de 36 anos, quarto da hierarquia e tricampeão mundial (2014, 2016 e 2017) somou este domingo o seu 17.º título da carreira em provas de ranking no Open da Escócia, que conquistou pela primeira vez, ao vencer o compatriota Jack Lisowski, de 28 anos, 13.º do ranking, por 9-6, na final da prova da época 2019/2020 da World Snooker, que neste dia se concluiu na Emirates Arena, em Glasgow.

 

Selby passa John Higgins e Neil Robertson na hierarquia após Glasgow e sucede ao norte-irlandês Mark Allen (campeão em 2018, 9-7 a Shaun Murphy na final). E aumenta para 14 as vitórias nas últimas 15 finais disputadas, desde que bateu O'Sullivan na final do Mundial-2014 (18-14)... nove das quais seguidas, com a de Glasgow. Notável competidor.

 

O Jester from Leicester consegue, na sua segunda final no torneio, 16 anos após ter sido batido no jogo decisivo de 2003 por David Gray (7-9), a sua primeira vitória na prova, segunda conquista da época… e em três dos quatro torneios Home Nations Series: vencera, antes, o English Open (9-1 a David Gilbert na final) e só não conseguiu triunfar no Open da Irlanda do Norte (Judd Trump bateu Ronnie O’Sullivan, 9-7); caso tivesse conseguido vencer em Belfast, ainda seria candidato ao £1 milhão (€1,19 milhões) de bónus que a World Snooker atribui a um profissional que consiga vencer as quatro provas numa só época…

 

Uma final, a terceira de Lisowski na carreira (procurava o primeiro título) que começou com Jack a chegar a 2-0 a todo o gás, com entradas de 73 e 58 pontos no parcial inaugural, e outra de 55, no segundo frame. para se distanciar de Selby. Mark, com breaks de 78 e 75 pontos, nas terceira e quarta partidas, respetivamente, já tinha igualado ao intervalo da sessão da tarde (2-2).

 

Grande favorito, Selby teve de esperar mais um pouco para passar para a frente, com Jack a vencer o quinto parcial: 3-2. Mas o tanque esvaziou a partir daí, com Mark a anotar entrada de 117 pontos na sexta partida, para o 3-3, e depois, então, a estrear-se na liderança da final, a 4-3, cimentada a 5-3 no final da primeira das duas sessões: Lisowski falhou clamorosamente quando somava 30 pontos em break, e depois, na luta tática final, Selby, sem surpresa, e no seu terreno favorito (exímio, sublime jogo defensivo) levou vantagem para a noite.

 

Jack tratou de encostar (4-5) ao compatriota logo na abertura da segunda e decisiva sessão, com entrada centenária: 119 pontos. Mas Mark ganhou o décimo parcial e fez o 6-4 para si, a recolocar a pressão. Lisowski recusou-se a descolar, e break de 80 pontos na 11.ª deram-lhe o 5-6. Parada e resposta: espetáculo com apogeu no 12.º parcial, muito tático e longo: um fato à medida do cirúrgico Selby, claro… para o 7-5. Que passaram a 8-5 - e a Jack ficar sem margem de manobra…- logo após, no 13.º parcial.

 

Lisowski encheu-se de brios e duas entradas ganhadoras, de 65 e 58 pontos, respetivamente, deram-lhe alento para tentar o milagre de ganhar mais três frames de rajada ao consagrado tricampeão mundial. Mas Mark Selby, com o nervo, frieza e raciocínio implacável que fazem dele uma das estrelas maiores dos panos verdes, acabou com as esperanças do compatriota logo a seguir, com a filha, Sofia, a saltar-lhe de imediato para os braços como o troféu mais desejado. E merecido.

 

O Scottish Open, prova da época 2019/2020 da World Snooker pontuável para o ranking, decorreu desde dia 9 do corrente mês e terminou neste domingo na Emirates Arena, em Glasgow. Distribuiu £405 mil (€485.158) de prémios: £70 mil (€83.854) para Mark Selby e £30 mil (€35.938) para Jack Lisowski.

 

Masters a 12 de janeiro em Londres

 

A próxima prova da época 2019/2020 da World Snooker é o Masters, de 12 a 19 de janeiro, em Londres, não pontuável para o ranking e reservada a 16 dos 17 melhores da hierarquia, com £725 mil de prémios (€868.492), das quais £250 mil (€299.480) ao futuro campeão, e na qual participa o detentor do título, Judd Trump, mas não o recordista de vitórias na prova (sete edições), Ronnie O’Sullivan, que declinou participar: Ali Carter ficou com a sua vaga. Também é transmitido para Portugal (EuroSport).

 

O quadro dos oito jogos dos oitavos de final – embates à melhor de 11 frames até às meias-finais, inclusive, até um vencer seis parciais (de 6-0 a possíveis 6-5), e à melhor de 19 possíveis partidas a final, sendo campeão o primeiro a vencer dez delas (de 10-o a possíveis 10-9) contempla os embates: Judd Trump-Shaun Murphy, Ding Junhui-Joe Perry, Mark Selby-Ali Carter, John Higgins-Barry Hawkins, Neil Robertson-Stephen Maguire, Mark Allen-David Gilbert, Kyren Wilson-Jack Lisowski e Mark Williams-Stuart Bingham.

 

Antes, já a partir de terça-feira, dia 17, e até sábado, dia 22 do corrente mês de dezembro, vão decorrer no Barnsley Metrodome (Inglaterra) as qualificações do European Masters e German Masters, também sem o Rocket, que cumpre pousio de mês e meio: só volta a 3 de fevereiro, para o World Grand Prix, em Cheltenham (Inglaterra), isto se se aguentar entre os 32 melhores da hierarquia a um ano: nesta altura, Ronnie é 17.º.

 

Final do Scottish Open (campeão a negro):

Jack Lisowski-Mark Selby, 6-9

 

(notícia atualizada)

Ler Mais
Comentários (2)

Últimas Notícias