Carnaval de Aalst já não é património cultural da UNESCO

Bélgica 13-12-2019 20:10
Por Redação

‘Festival de ódio’. Assim foi apelidada a edição deste ano do famoso carnaval da cidade de Aalst, depois de ter sido apresentado um carro alegórico com pessoas com trajes do Ku Klux Klan – organização racista secreta norte-americana que nasceu durante a Guerra Civil (1861-1865), iniciada pelos estados do sul do país, inconformados com o fim da escravidão -, caricaturas de judeus ortodoxos acompanhados de ratazanas e sacos de dinheiro.

 

E foi, por isso, que a UNESCO (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura) lhe retirou o título de património cultural. 
 

«O Comité Intergovernamental para a Salvaguarda do Património Imaterial da Humanidade baseou a decisão na ocorrência de representações antissemíticas e racistas, que são incompatíveis com os princípios fundamentais», aponta, em comunicado, a UNESCO. 

Curiosamente, o pedido de renúncia ao título foi apresentado pela própria organização do carnaval, isto porque terá recebido muitas queixas. «Enfrentamos queixas grotestas e a Aalst vai renunciar ao reconhecimento da UNESCO», disse o presidente da câmara da cidade flamenga, à revista TIME. 

«A UNESCO rege-se pelos seus princípios fundadores de dignidade, igualdade e respeito mútuo entre todas as pessoas, e condena todas as formas de racismo, antissemitismo e xenofobia», lê-se ainda na nota da UNESCO.

Ler Mais

Últimas Notícias