Allen bate '0079 Bond' e segue com Maguire para as ‘meias’ no UK

Snooker 06-12-2019 23:35
Por António Barroso

O norte-irlandês Mark Allen, de 33 anos, sétimo do ranking, e o escocês Stephen Maguire, de 38 anos, 15.º da hierarquia mundial, apuraram-se para as meias-finais do UK Championship, onde se irão defrontar, ao vencerem na noite desta sexta-feira,, nos últimos jogos dos quartos de final da prova da época 2019/2020 da World Snooker o inglês Nigel Bond e o galês Matthew Stevens, por 6-5 e 6-4, respetivamente, em York (Inglaterra).

 

Na sessão da ressurrreição, só Mark Allen, de 33 anos, sétimo da hierarquia destoava entre três profissionais com décadas no circuito, e que poucos esperariam chegassem a fase tão adiantada da prova, por os seus tempos áureos nesta variante do bilhar já terem, pensava-se, passado, mas, qual fénix, surgiram a cuspir lume em York: Stephen Maguire, Matthew Stevens e Nigel Bond.

 

Nigel Bond, nestas andanças há 31 anos - tinha 35 quando Yan Bingtao, que defronta Ding Junhui na outra meia-final, nasceu… - espantou o Mundo. O mais velho a atingir uns quartos de final no UK nos últimos 39 anos – desde 1980, quando o saudoso Fred Davis (irmão de Joe Davis) à altura com 67 anos, o logrou -, com o apelido homónimo ao mais famoso agente secreto da Sétima Arte, criado por Ian Flemming, justificou ter licença para matar.

 

Bond começou a semana em 101.º da hierarquia e já vai na 79.ª posição depois de, na mais recente sequela de ação da saga do espião de Ian Flemming, em exibição no Barbican Centre ter estado muito perto de ganhar o duelo ao pistoleiro (The Pistol) Mark Allen.

 

Vice-campeão mundial de 1995 e vencedor do British Open em 1996, Nigel Bond merece aplauso generalizado de todos: jogou a quarta negra em cinco jogos em York: com  sangue gelado, eliminou de seguida Luca Brecel, Louis Heathcote, Gary Wilson … sempre por 6-5, e só diante do número um, Judd Trump, nos 16avos não precisou de levar a tensão até ao teto do Barbican Centre (6-3). Caiu à quarta negra, mas Allen sofreu que chegue. E para contar.

 

Depois de John Higgins ter caído durante a tarde (3-6 ante Yan Bingtao), Allen é o último favorito a salvar-se neste inacreditável UK Championship, onde (quase) todos os prognósticos têm falhado e surpresas deliciam amantes do snooker. Finalista batido por Ronnie O’Sullivan em 2018 (6-10), Mark está a um passo de segunda final seguida do ‘UK’ e sua terceira no torneio (foi vencido por Judd Trump em 2011, 8-10).

 

Um jogo sempre tenso, com Bond a virar de 0-1 para 3-1 (entrada de 74 pontos no quarto parcial), para Allen, que anotara break de 70 pontos a abrir o jogo (1-0), responder também com três partidas de rajada após o intervalo, e virar para 4-3, com visitas de 89 e 98 pontos nos quinto e oitavo frames. Nigel olhou-o nos olhos… e entrada de 87 pontos na oitava partida, para o 4-4, com Mark a anotar na nona 69 pontos de entrada para o 5-4.

 

Mas no seu estilo de formiga paciente, com entradas que raramente ultrapassaram os 30 pontos, como nos anos 80 chegava a Steve Davis para ser hegemónico, mas 31 anos de matreirice defensiva e estratégica, o espião enervou Allen, que baixou o nível… e igualou a 5-5, com tudo para se decidir na 11.ª partida a que, repete-sem chegou pela quarta vez em cinco jogos (!) neste UK Championship.

 

Mas Bond estava esgotado, e Mark, escaldado pela ‘negra’ com Kurt Maflin nos oitavos, aguentou bem… até acabar entrada de 69 pontos com uma preta falhada. A precisar de dois snooker e outras tantas faltas de Allen, Nigel ainda voltou à mesa, mas sem inverter o 5-6. Caiu de pé após falhar uma azul, mas foi… fantástico. Bond inspirou.

 

No outro duelo, e depois de um jogo-maratona de mais de cinco horas ante Mark Selby (6-5) nos oitavos, Matthew Stevens, de 42 anos, 34.º da tabela, deu muito o que fazer a Stephen Maguire, que procura segundo  título no UK – conquistou-o nos seus anos áureos, em 2004 (10-1 a David Gray na final) – e terceira final num dos três mais prestigiados torneios do ano: o escocês perdeu a final para o Rocket em 2007 (2-10).

 

Um jogo em que nenhum dos contendores se distanciou um do outro. Matthew começou melhor (0-1), mas o temível jogo ofensivo de Maguire – é um verdadeiro snipper, franco-atirador temível à mesa, como se viu no Lisbon Open, em dezembro de 2014, última prova de ranking que venceu.., mas esta época já venceu a Taça do Mundo pela Escócia, na China (dupla com John Higgins) e o Mundial de Seis Vermelhas, na Tailândia – surgiu: após entrada de 56 pontos no primeiro parcial insuficiente para evitar o 0-1, foi por ali fora.

 

Stephen anotou break de 51 pontos na segunda partida, para o 1-1, chegou a 2-1, e após Stevens igualar antes do intervalo (2-2) continuou o recital de pega e não larga mais até acabar: centenária, 135 pontos, no quinto parcial, para o 3-2, outra entrada de 55 pontos na sexta partida que não chegou para impedir o 3-3 do rival, com Stevens a chegar à liderança (3-4) logo após.

 

Maguire esteve à altura: nova centenária, de 123 pontos, para 4-4 e nova entrada de 83 pontos para o 5-4… e fechou com 66 pontos na décima partida. Sete entradas acima dos 50 pontos, duas delas centenárias: demonstração de força e poder, de um sério candidato que só agora mostra os dentes. Allen e Maguire vão defrontar-se na meia-final da noite de sábado (19 horas), e é importante referir que, no confronto direto, em nove jogos, o norte-irlandês venceu sete, o escocês dois….

 

Na primeira meia, sábado (13 horas), defrontam-se os chineses Ding Junhui, de 32 anos, 14.º da hierarquia, e Yan Bingtao, de 19 anos, 19.º do ranking, que durante a tarde deste dia haviam deixado pelo caminho Liang Wenbo e John Higgins. Duelo de gerações... com a China a ter um finalista garantido.

 

As meias do UK ainda serão jogadas à melhor de 11 frames, até um ganhar seis (de 6-0 a possíveis 6-5). A final, domingo, já será até um ganhar dez parciais (de 10-0 a possíveis 10-9).

 

O UK Championship, torneio da época 2019/2020 da World Snooker pontuável para o ranking, iniciou-se a 26 de novembro e decorre em York (Inglaterra) até domingo, dia 8 do corrente mês. Prova da Tripla Coroa (com o Masters e o Mundial) atribui 1,009 milhões de libras (1,18 milhões de euros) em prémios, das quais £200 mil (€236.829) ao campeão, £80 mil (€94.732) ao vice-campeão e £40 mil (€47.366) aos semifinalistas vencidos, e é transmitido para Portugal (EuroSport). Por chegarem aos quartos de final, Higgins, Wenbo, Stevens e Bond levaram, cada um £24.500 (€29.012) para casa…

 

Quartos de final, esta 6.ª feira (apurados a negro):

Ding Junhui-Liang Wenbo, 6-2

John Higgins-Yan Bingtao, 3-6

Stephen Maguire-Matthew Stevens, 6-4

Mark Allen-Nigel Bond, 6-5

 

Meias-finais, sábado (hora local e de Portugal continental):

Ding Junhui-Yan Bingtao (13 horas)

Stephen Maguire-Mark Allen (19 horas)

Ler Mais
Comentários (0)

Últimas Notícias