Days Gone: A aventura de Deacon St. John num mundo pós-apocalíptico

Jogos 26-04-2019 18:54
Por David Villamarin

Depois de ter realizado Syphon Filter para a PS2, Resistance: Retribution, Uncharted: Golden Abyss, Uncharted: Fight for Fortune, para as portáteis da Sony, o estúdio Bend Studio apostou no exclusivo Days Gone para a Playstation 4, que foi lançado no mercado dia 26 de Abril.

 

Em Days Gone o jogador irá encontrar o mundo devastado por um acontecimento global que transformou grande parte da humanidade em monstros denominados «Freakers» e irá encarnar o papel do motoqueiro Deacon St. John. O jogo começa ao lado do amigo William «Boozer» Gray.

 

Com o mundo arrasado os sobreviventes tentaram criar zonas seguras, o protagonista irá viajar até esses locais e recolher missões para cumprir em zonas dominadas pelos «Freakers» ou por humanos, que mais parecem ser também monstros, visto que abandonaram todos os princípios que definem a humanidade e viraram canibais. Existe também um grupo de humanos oportunistas que fazem emboscadas para tentar garantir munições e mantimentos de outras pessoas.  

 

Nessas zonas seguras o jogador também terá a oportunidade de comprar armas, balas, mantimentos e reparar a moto, que é fulcral no desenrolar do jogo, visto que é a forma como Deacon St. John desloca-se de um lado para o outro e durante essas viagens vai sofrendo estragos e gasta gasolina, pelo que é preciso estar constantemente atento aos danos e a quanto gasolina tem, ou seja, é preciso reparar e garantir o necessário combustível, porque sem a moto a morte é inevitável e rápida. Também é possível melhorar diversos componentes da moto.

 

 

Days Gone tem múltiplos elementos que encontramos num RPG (role playing game), ou seja, é possível melhorar todas as coisas que temos e isso passa pelas pistolas, espingarda, metralhadores, armas brancas (machados, bastões, paus e muito mais). Esses «upgrades» são cruciais para o jogador ter sucesso.

 

Para além disso é muito importante explorar os acampamentos da organização NORA, que foi criada com o objetivo de tentar travar o vírus que estava a dizimar a humanidade, porque nessas bases também é possível melhorar aspetos do protagonista como, por exemplo, a resistência ou o foco, tomando uma injeção.

 

Para além dos «Freakers», pequenos e grandes, animais infetados pelo vírus e outras surpresas que o jogador irá descobrir, é preciso destacar um dos aspetos mais assustadores do jogo, que são as hordas.

 

Quando um jogador tem como objetivo arrasar uma horda, que é constituída por centenas de freakers, será preciso utilizar tudo aquilo que aprendeu até ao momento. Existe a possibilidade de tentar utilizar o «stealth», ou seja, que passa por tentar ir escondendo no ambiente e colocar diversos explosivos pelo local onde vai depois atrair as hordas e ir correndo ou de moto à frente da horda pelo sítio onde colocou as bombas e assim elimina-los a todos. Outra hipótese e utilizar tudo o que está no ambiente para ir matando todos os freakers, mas é preciso ter sempre em conta que são centenas e ao mais pequeno erro e o jogador está morto. É claro que cada jogador deve procurar a estratégia que se melhor adequa ao seu estilo de jogo.

 

Em termos de gráficos é necessário destacar a atmosfera do jogo que é excelente, a devastação no mundo, os efeitos que o tempo tem na forma como andamos de moto, quando o terreno está todo enlameado, ou como o frio que afeta os freakers.

 

Outro aspeto a destacar é que o jogo é muito longo, o jogador tem múltiplos tipos de missões para fazer, tem muita exploração para realizar, que é sempre crucial para encontrar os necessários mantimentos.

 

No cômputo geral, Days Gone é um jogo que explora a capacidade de sobrevivência do jogador num mundo recheado de perigos em toda a parte e que tenta mostrar como a humanidade ficou após um vírus mortífero.  

Ler Mais

A PAIXÃO CONTINUA EM CASA


O momento particular que vivemos determina a permanência das pessoas em casa além do fecho de todas as lojas comerciais alterando dramaticamente os hábitos das pessoas no que toca à leitura e ao acesso à informação.

Neste momento de grandes dificuldades para todos, estamos a trabalhar a 100% para continuar a fazer-lhe companhia todos os dias com o seu jornal A Bola , o site ABOLA.pt e no canal A Bola Tv.

Mas este trabalho só vale a pena se chegar aos seus clientes de sempre sem os quais não faz sentido nem é economicamente sustentável.

Para tanto precisamos que esteja connosco, que nos faça companhia, assinando a versão digital de A Bola e aproveitando a nossa campanha de assinaturas.

ASSINE JÁ

Últimas Notícias

Mundos