Estado vai processar últimos moradores do prédio Coutinho

Viana do Castelo 17-07-2019 12:46
Por Redação

O Estado vai avançar com uma ação contra os últimos moradores no prédio Coutinho, em Viana do Castelo, que não respeitaram a ordem de despejo de 24 de junho.

 

O ministro do Ambiente justificou a ação, que será interposta depois das férias judiciais, com os custos causados ao Estado com o adiar da desconstrução do edifício. João Matos Fernandes disse também que a sociedade VianaPolis, que administra o prédio, custa 30 mil euros por mês e deverá ser extinta o mais rápido possível.

 

No edifício Jardim, localmente conhecido por prédio Coutinho, restam agora nove moradores, cujo despejo esteve previsto para dia 24 de junho, na sequência de uma decisão do Tribunal Administrativo e Fiscal de Braga (TAFB). 

 

Os moradores recusaram sair mesmo depois de a VianaPolis ter cortado eletricidade, o gás e a água de todas as frações do prédio.

Ler Mais

Últimas Notícias