País declara guerra aos gatos e quer abater dois milhões até 2020

Austrália 26-04-2019 17:51
Por Redação

Salsichas com veneno são o último método adotado pelas autoridades australianas para eliminar dois milhões de gatos selvagens que vagueiam pelo país até 2020.

 

Estima-se que são entre dois e seis milhões e embora alguns pertençam a espécies domésticas, vivem em ambiente selvagem e caçam para sobreviver.

 

Segundo uma reportagem do jornal norte-americano ‘The New York Times’, «os gatos ocupam cerca de 99% do território australiano e serão responsáveis pela extinção de pelo menos 22 espécies autóctones, entre pequenos roedores, marsupiais e aves autóctones».

 

Em declarações ao jornal australiano ‘Sydney Morning Herald’, o comissário nacional para as espécies em vias de extinção, Gregory Andrews, disse que os gatos representam a maior ameaça singular às espécies nativas da Austrália. 

 

«Estima-se que os gatos selvagens matem, por dia, um milhão de aves nativas e 1,7 milhões de répteis», disse à CNN um porta-voz do Departamento de Energia e Ambiente da Austrália.

 

A nível global, mais de uma dezena de petições conseguiram angariar perto de 200 mil assinaturas contra este plano .

 

A atriz francesa Brigitte Bardot, ícone dos anos 60 século passado e que dedicou muitos anos de vida à defesa dos animais, escreveu uma carta ao ministro do ambiente australiano a pedir para acabar com o genocídio animal.

 

Em clima de guerra, a Austrália não olha a meios. Além das salsichas, usam armadilhas e armas de fogo. Alguns dos caçadores dão preferência a armas com setas, como as bestas ou arco e flecha.

 

No estado de Queensland, há um município a oferecer 10 dólares australianos (cerca de seis euros) por cada escalpe de gato, prática que a associação de defesa dos animais PETA considera cruel.

 

Segundo uma análise publicada na revista ‘Proceedings of the National Academies of Sciences’, os gatos selvagens tornaram-se «uma praga em todo o mundo, sendo responsáveis pela extinção de 63 espécies únicas, nos últimos cinco séculos».

 

No país vizinho do sul, Nova Zelândia, há quem defenda a erradicação total dos gatos, domésticos e selvagens.

Ler Mais

Últimas Notícias