eFootball PES 2021 – 25 anos depois, a mesma energia

Jogos 19-10-2020 22:04
Por Nuno Perestrelo

Pode parecer mentira, mas não é: foi há 25 anos que International Superstar Soccer chegou às lojas europeias e americanas como o mais entusiasmante jogo de futebol para consolas. Desenvolvido pela Konami, foi evoluindo com as novas gerações de consolas, mudando de nome, mas mantendo uma identidade que faz com que os fãs não admitam trocá-lo por nenhuma das versões de FIFA.

 

A verdade é que não há meio-termo nesta luta pela popularidade: façam o que fizerem Konami e EA Sports, o dérbi entre PES e FIFA será sempre um Real Madrid-Barcelona, um Benfica-Sporting, um Flamengo-Fluminense… Umas vezes melhor um, outras melhor o outro, as legiões de fãs dificilmente trocam de clube.

 

E há uma razão para isso – ainda que qualquer dos títulos seja tecnicamente excecional, ainda que qualquer dos dois tente colocar-nos no centro da ação de um jogo de futebol – e o façam ambos muito bem – há qualquer coisa na forma de jogar que os diferencia.

 

 

Talvez PES, agora eFootball PES seja mais emocionante porque nos transporte mais para um jogo ao estilo árcade, embora classificá-lo de tal forma fosse redutor e injusto, tal a profundidade de jogo que é possível encontrar dentro do relvado.

 

FIFA vai ganhando terreno com as licenças oficiais de mais equipas e ligas, terreno em que PES vai competindo sem cometer loucuras. Convenhamos no entanto que para os fãs da jogabilidade do título da Konami, tanto faz se o Liverpool se chama Merseyside Red ou se responde pelo nome próprio.

 

Se hoje alguém fosse jogar International Superstar Soccer talvez ficasse chocado. Os gráficos toscos, as animações mais pobres, a inteligência artificial a roçar o rídiculo. E, no entanto, quem jogou de 1995 até hoje acaba a sentir que ano após ano foi apenas havendo ligeiros progressos, por vezes quase impercetíveis, mas que transformaram o antigo ISS num jogo de culto.

 

 

Com a pandemia de covid-19 e o lançamento da nova geração de consolas a trocar as voltas aos programadores, a Konami tomou este ano uma das decisões mais arriscadas da história: lançou uma atualização de temporada do título de 2020, com alterações ligeiras, quer nos menus, que na jogabilidade.

 

Assumiu o risco e cortou no preço: por €25, todos puderam acompanhar a evolução do jogo, assumir novas carreiras nos modos online e recuperar o prazer de construir equipas ganhadoras.

 

O resultado, podemos dizê-lo agora, ao fim de quase um mês de utilização foi bom. Apesar de ter já uma equipa fantástica (com Messi e Ronaldo) na versão do ano anterior, lancei-me ao desafio que começar o modo My Club em eFootball PES 2021. E percebi rapidamente que mesmo que o jogo fosse o mesmo do ano passado, me daria exatamente o mesmo prazer.

 

Enquanto ficamos a sonhar com o que poderá vir a ser um novo PES quando saírem as novas consolas Xbox Series X e PlayStation 5 – até porque a Konami prometeu que trabalharia na evolução do jogo para o próximo ano, em vez de gastar recursos para consolas em fim de vida – apercebemo-nos também de que mesmo sendo muito parecido com o jogo do ano anterior, o novo PES não é exatamente igual.

 

 

Ligeiros problemas de jogabilidade foram limados, um dos quais o que transformava qualquer rival controlado por IA que estivesse a perder (por pior que fosse) numa equipa de superestrelas, capazes de fintar quatro jogadores de uma vez. Há mais erros, um ritmo mais pausado, mas ainda assim vibrante.

 

Barcelona, Juventus, Arsenal, Manchester United e Bayern são apenas alguns dos principais clubes parceiros, tendo ainda eFootball PES 2021 o Euro-2020 devidamente licenciado.

 

Em resumo, eFootball PES 2021 é, até pelo preço, um jogo a ter em conta para a biblioteca de qualquer jogador. E uma oportunidade para que muitos acabem por dar um mergulho no título da Konami. Veremos se no fim, a jogada de recurso da Konami não acaba por ser um dos maiores tiros certeiros do estúdio japonês…

Ler Mais

Últimas Notícias