Hamilton: em Ímola, ‘pole position' 99!

Fórmula 1 17-04-2021 14:22
Por José Caetano

 

A história da Fórmula 1 reescreve-se quase corrida a corrida, sempre com Lewis Hamilton e Mercedes-AMG como protagonistas. O britânico e a escuderia alemã, em 2021, perseguem, respetivamente, o 8.º título mundial de pilotos e construtores. Iniciaram bem o campeonato, vencendo o Grande Prémio do Bahrain, em Sakhir, a 28 de março, mas desconfiava-se do potencial da dupla no confronto com Max Verstappen e a Red Bull-Honda, que tinham dominado os testes de pré-temporada realizados no mesmo circuito. Na ausência de outras referências, legitimamente, a dúvida colocava-se…

 

Em Ímola, na qualificação para a segunda corrida da temporada, que é, igualmente, a segunda edição do Grande Prémio da Emília-Romanha (Itália), campeões do Mundo mais fortes do que a concorrência! Hamilton somou a 99.ª ‘pole position’ da carreira – conseguiu a primeira no Canadá-2007, na época de estreia no Mundial, ao volante de um McLaren… –, com 1.14,411 m na volta aos 4,909 km do Autódromo Enzo e Dino Ferrari. Ainda assim, registo aquém do que valeu a primeira posição na grelha de partida ao finlandês Valtteri Bottas (1.13,609 m), também da Mercedes-AMG, na edição de 2020 da mesma corrida. Em 2021, devido a mudanças na aerodinâmica que penalizam, sobretudo, a velocidade em curva, monolugares mais lentos.

 

A importância da ‘pole’ de Hamilton explica-se facilmente: em Ímola, posição na grelha de partida quase tão determinante para o resultado da corrida como nos circuitos citadinos! Os monolugares modernos são longos e velozes, o que dificulta as ultrapassagens num circuito tão tradicional. Amanhã, o grande prémio com 63 voltas tem início marcado para as 14h00.

 

O resultado de Hamilton também coloca Portimão ‘debaixo de olho’… O ano passado, na estreia do Autódromo Internacional do Algarve (AIA) como ‘casa’ do Grande Prémio de Portugal, que regressou ao mapa do Mundial em 2020, o britânico, ganhando a corrida, tornou-se o piloto com mais vitórias na Fórmula 1 (92), à frente do alemão Michael Schumacher. Dia 2 de maio, no nosso País, na ronda três do campeonato de 2021, Lewis terá a (primeira) possibilidade de somar a sua 100.ª ‘pole position’ (e a primeira do ano). Um número surreal.

 

Na qualificação para o Grande Prémio da Emília-Romanha, outro protagonista: Sergio Pérez, apenas na segunda corrida pela Red Bull-Honda, realizou a melhor qualificação da sua carreira. Em 192 grandes prémios, o mexicano tinha como melhor resultado uma 3.ª posição na Turquia (conseguiu-a em 2020, na Turquia, com a Racing Point). Amanhã, na 193.ª participação no Mundial, estreia do piloto na primeira linha de uma grelha de partida, à frente do companheiro de equipa, Max Verstappen, ‘apenas’ o terceiro mais rápido da sessão. Nos dois lugares seguintes, Charles Leclerc (Ferrari) e Pierre Gasly (AlphaTauri-Honda). No ‘top-5’, quatro escuderias!

 

Tolerância zero na violação dos limites da pista

 

Finalmente, em Ímola, depois de toda a polémica com a curva 4 no Bahrain, onde Max Verstappen excedeu os limites da pista para ultrapassar Lewis Hamilton, para depois devolver a liderança da prova ao britânico, que acabou por ganhá-la, o diretor de corrida da Fórmula 1, Michael Masi disse os pilotos que não são admitidos quaisquer excessos nas três curvas sob vigilância dos comissários (9, 13 e 15).

 

Complementarmente, comunicou-lhes que três violações originam a exibição de uma bandeira branca e preta, uma espécie de cartão amarelo no futebol. E, para não existirem dúvidas na interpretação das regras, esclareceu-os que as três violações são combinadas e não contabilizadas só numa curva. A segunda infração, acrescentou, vale penalização de tempo.

 

Entre as consequências da ‘tolerância zero’, nos treinos livres e na qualificação, muitos registos apagados da tabela de tempos, alguns com impacto na arrumação da grelha de partida – entre as vítimas da ‘mão pesada’ de Masi, Lando Norris, da McLaren, que perdeu uma incrível segunda posição na qualificação, e Sebastian Vettel, a Aston Martin-Mercedes, que ficou sem o melhor registo no segundo segmento da sessão e não conseguir apurar-se para o terceiro, que reúne apenas os 10 mais rápidos, pela 15.ª vez consecutiva! Amanhã, na corrida, ver-se-á o que acontece…

 

Resultados da qualificação (e grelha de partida provisória):

1.º Lewis Hamilton, Mercedes-AMG, 1.14,411 m

2.º Sergio Pérez, Red Bull-Honda, +0,035 s

3.º Max Verstappen, Red Bull-Honda, 0,087 s

4.º Charles Leclerc, Ferrari, + 0,329 s

5.º Pierre Gasly, AlphaTauri-Honda, +0,379 s

6.º Daniel Ricciardo, McLaren-Mercedes, +0,415 s

7.º Lando Norris, McLaren-Mercedes, +0,464 s

8.º Valtteri Bottas, Mercedes-AMG, +0,487 s

9.º Esteban Ocon, Alpine-Renault, 0,799 s

10.º Lance Stroll, Aston Martin-Mercedes, sem tempo

ELIMINADOS NA Q2

11.º Carlos Sainz Jr., Ferrari, 1.15,199 m

12.º George Russell, Williams-Mercedes, 1.15,261 m

13.º Sebastian Vettel, Aston Martin-Mercedes, 1.15,394 m

14.º Nicholas Latifi, Williams-Mercedes, 1.15,593 m

15.º Fernando Alonso, Alpine-Renault, 1.15,593 m

ELIMINADOS NA Q1

16.º Kimi Räikkönen, Alfa Romeo-Ferrari, 1.15,974 m

17.º Antonio Giovinazzi, Alfa Romeo-Ferrari, 1.16,122 m

18.º Mick Schumacher, Haas-Ferrari, 1.16,279 m

19.º Nikita Mazepin, Haas-Ferrari, 1.16,797 m

20.º Yuki Tsunoda, AlphaTauri-Honda, sem tempo

 

Ler Mais
Comentários (1)

Últimas Notícias