«Sentia as pernas a explodirem...»

Ciclismo 26.09.2022 09:33
Por Fernando Emílio

Remco Evenepoel, belga de 22 anos, segue a fazer história no ciclismo, ao sagrar-se campeão do Mundo, apoteose de uma época de sonho, iniciada com as vitórias na Volta ao Algarve, Liége-Bastogne-Liége, Volta à Noruega e clássica Gullegem Koerse, antes do título de campeão nacional de contrarrelógio, seguido de mais triunfos na Clássica de S. Sebastian e Volta à Espanha, complementados por mais oito etapas, num total de 16 vitórias em 2022, ano em que se tornou, ainda, no sétimo corredor mais jovem a conquistar a camisola arco-íris.


O circuito de Wollongong na Austrália, foi o palco ideal para o ciclista belga, que a duas voltas do fim atacou e só terminando com a conquista do ouro mundial. Ele que em Innsbruck, na Áustria, em 2018, já se sagrara campeão do Mundo júnior de fundo e de contrarrelógio.


«Este título não é comparável ao dos juniores. Como neste circuito não se podia perder tempo, decidi atacar e correr os últimos quilómetros sozinho», começou por explicar Evenepoel após a cerimónia protocolar, no domingo.


«A última volta foi difícil porque sentia as pernas a explodirem. Mas sabia estar quase no fim e do carro da equipa só me diziam que a vantagem estava a aumentar. Corremos como uma equipa de verdade, não importando quem fosse o campeão, porque o mais importante era a Bélgica vencer o Mundial e merecemos isso. Sempre sonhei com a camisola arco-íris e conquistá-la deixa-me nas nuvens. Este ano ganhei tudo o que era possível e talvez nunca mais venha a ter temporada melhor do que esta. Esta noite será de festa. Nem sequer irei à cama do hotel», prometeu ontem.

Ler Mais
Comentários (0)

Últimas Notícias