Vingegaard vence 109.º Tour, Nélson Oliveira 52.º

Volta a França 24.07.2022 18:53
Por Redação

O dinamarquês Jonas Vingegaard, de 25 anos (Jumbo-Visma) venceu este domingo a 109.ª edição do Tour, que se concluiu com a 21.ª e última etapa, num circuito urbano em Paris, entre a Arena de La Défense e os Campos Elísios, no total de 115,6 quilómetros.


É a primeira vitória de Jonas Vingegaard na mais prestigiada prova velocipédica mundial, relegando para segundo – o que já sucedia desde os Alpes, resistindo a todos os ataques da concorrência depois, nos Pirinéus, com galhardia e até manifestação suprema de desportivismo, ao esperar por Pogacar após uma queda deste - o bicampeão do Tour em 2020 e 2021, precisamente o esloveno Tadej Pogacar, de 23 anos (Emirates), sobre o qual chegou à derradeira tirada com 3m57s de vantagem.


O pódio desta edição da Volta a França é completo pelo britânico Geraint Thomas, terceiro classificado, a 8m13s de Jonas Vingegaard, que cortou a meta nos Campos Elísios com ‘escolta’ da equipa Jumbo-Visma a si e a Wout van Aert, integrado no pelotão, tal como, de resto, Tadej Pogacar.


A última tirada foi ganha ao sprint, numa chegada em polotão, pelo belga Jasper Philipsen (Alpecin-Deceunink), seguido pelo neerlandês Daniel Groenewegen, de 29 anos (BikeExchange-Jayco) e com o norueguês Alexander Kristoff, de 35 anos (Intermarché) a ser terceiro classificado.


O português Nélson Oliveira, de 30 anos (Movistar), que partiu para a derradeira etapa na 55.ª posição (a 2h58m30s de Vingegaard), concluiu-a integrado no pelotão, na 40.ª posição (com o mesmo tempo do vencedor), terminando em 52. º posto da classificação geral final numa prova em que a partir da desistência de Rúben Guerreiro, foi o único ‘sobrevivente’ português: concluiu a corrida em Paris com mais 2h57m39s do que Vingegaard.


Além da ‘amarela’, sinónimo de vencedor da classificação geral, Jonas Vingegaard arrecadou ainda a camisola branca com bolas vermelhas, símbolo de campeão da montanha no Tour, com 72 pontos, com o alemão Simon Geschke (Cofidis) a ser segundo (64 pontos) e o italiano Giulio Ciccioni (TPS) terceiro colocado, com 61 pontos.


Tadej Pogacar, segundo classificado no final, se não chegou ao ‘tri’, após as vitórias em 2020 e 2021, ficou com a camisola branca, sinónimo de o esloveno ter sido o melhor entre a Juventude neste Tour.


A camisola verde, sinónimo do vencedor por Pontos, foi para o belga Wout Van Aert (Jumbo-Visma), vencedor de três tiradas da prova, com Tadej Pogacar a ser segundo classificado e o belga Jasper Philipsen, neste dia triunfador em Paris, terceiro classificado.


Por equipas, vitória para a Ineos-Grenadiers, com a Groupama-FDJ a ser segunda classificada e a Jumbo-Vista ‘de’ Vingegaard e Van Aert, terceira.

Ler Mais
Comentários (0)

Últimas Notícias