Visa cancelado «para quebrar movimento anti-vacinação no país», defendem advogados de Djokovic

Ténis 14-01-2022 12:39
Por Redação

Novak Djokovic recebeu esta sexta-feira nova ordem de deportação da Austrália, e os advogados do jogador e do governo foram novamente chamados a tribunal, que determinou que o jogador será novamente detido – manhã de sábado em Melbourne, noite de sexta-feira ainda em Lisboa – e que o caso passará para o tribunal Federal.

 

Na audiência desta sexta-feira com o juiz Anthony Kelly, o mesmo que lhe concedeu liberdade na última segunda-feira, a equipa de advogados de Novak Djokovic atacou o governo e sustentou que a revogação do visto tem apenas intenções políticas – não porque a isenção estivesse errada, mas quebrar o eventual crescimento de um sentimento anti-vacinas entre os australianos.

 

O primeiro ministro Scott Morrison disse antes que a determinação do ministério da Imigração estava «em linha com os esforços dos australianos nos últimos dois anos». A ordem no ministro Alex Hawke refere que é «no interesse da saúde pública.»

 

É sabido que Djokovic não está vacinado e já se manifestou em várias ocasiões contra a obrigatoriedade em tomá-la, mas nunca o fez em solo australiano. No entanto, a hashtag #IStandWithDjokovic (do lado de Djokovic) tem sido usado pelos movimentos anto-vacina nas redes sociais.

 

A BBC recorda que a campanha de vacinação no país decorreu de forma mais lenta que o esperado devido a receios quanto aos efeitos secundários da vacina da AstraZeneca, em grande maioria no stock que o país comprou, mas que de momento cerca d 90 por cento da população está protegida.  

Ler Mais
Comentários (6)

Últimas Notícias