McGill marca duelo com o ‘Rocket’ nos ‘oitavos’ do Mundial

Snooker 19-04-2021 22:57
Por António Barroso

Mais dois grandes candidatos à vitória no Mundial-2021, o escocês John Higgins (campeão em 1998, 2007, 2009 e 2011) e o inglês Kyren Wilson (vice-campeão mundial), carimbaram esta segunda-feira, a par do escocês Anthony McGill (semifinalista em 2020), o passaporte para os oitavos de final, no terceiro dia de jogos dos 16 avos de final e do Campeonato do Mundo de Snooker, prova maior da época 2020/2021 do World Snooker Tour, a decorrer desde 17 do corrente mês e até 3 de maio no Crucible Theatre, em Sheffield (Inglaterra).

 

Ronnie O’Sullivan, Neil Robertson, Yan Bingtao, David Gilbert e Jamie Jones estavam já apurados para os oitavos de final, e mais este trio - John Higgins, Anthony McGill e Kyren Wilson - se lhes juntou neste terceiro de 17 dias de jogos, para chegarmos a metade dos contendores já definidos para a próxima ronda, oito de 16 jogadores.

 

Definido ficou também o primeiro jogo dos oitavos com os dois nomes conhecidos: apurados: Ronnie O’Sullivan versus Anthony McGill. O escocês de 30 anos, 16.º do ranking – que Kyren Wilson bateu por 16-17 numa emocionante e inesquecível ‘negra’ das meias-finais da edição transata do Mundial (2020), dominada por um ‘chouriço’ de Kyren na bola verde – entrou para a sessão final do jogo com o inglês Ricky Walden, de 38 anos, 32.º da tabela, em vantagem tangencial 5-4 mas na decisão confirmou o estatuto de cabeça-de-série e marcou encontro com o ‘Rocket’ para os oitavos de final, quinta-feira, dia 22 do corrente mês (13 horas 1.ª sessão) e sexta-feira (10 horas a 2.ª sessão, 19 horas a conclusão), encontro que inaugura a 2.ª ronda, já à melhor de 25 parciais: é preciso um jogador vencer não 10, mas já 13 (de 13-0 a possíveis 13-12) para estar nos ‘quartos’.

 

McGill foi autoritário: entrou melhor, chegou a 7-4, antes de Walden anotar aquele que seria o seu único ‘frame’ do dia para atenuar a 5-7, mas três parciais de rajada selaram confortável 10-5 num dia em que os favoritos vincaram a sua lei nas segundas sessões.

 

Foi esse também o caso do, John Higgins, de 45 anos, 7.º do ranking, que acelerou com seis parciais de rajada, com duas centenárias pelo meio – 127 pontos para o 9-7 e 135 pontos a concluir o encontro – para virar completamente do avesso um jogo em que o chinês Tian Pengfei, de 33 anos, 57.º da tabela, lamentará uma bola amarela falhada de forma inacreditável.

 

O asiático chegou à decisão, aprazada para a tarde mas que aconteceria apenas já noite alta, a vencer por parcos 3-4, e consolidou a vantagem até 3-6. O espectro de um segundo cabeça-de-série cair (depois de Stephen Maguire) e um dos favoritos ficar pelo caminho pairou, mas Higgins manteve o registo e a calma de 29 anos da pressão no circuito. Calo de quem tem oito finais de Mundial (metade, ou sejam 4, ganhas, metade perdidas).

 

Higgins atenuou para 4-6, mas quando Pengfei chegou a 7-4 temeu-se o fim para o escocês. E foi completamente ao contrário: o ‘feiticeiro de Wishaw’ carregou no acelerador a fundo e chegou ao final da tarde a vencer por 9-7, conquistando cinco parciais de rajada.

 

Devido ao início da sessão noturna e à hora tardia, tiveram de voltar já após às 21 horas quando vagou a mesa onde jogaram McGill e Walden para fechar as contas, com Higgins a concluir com seis ‘frames’ de seguida  e a vincar, autoritário, a sua lei. O escocês defrontará nos oitavos de final o vencedor do embate entre o galês Mark Williams, tricampeão mundial (2000, 2003 e 2018) e o inglês Sam Craigie.

 

Seis ‘frames’ de rajada, sem tirar o pé do acelerador, decidiram também o duelo a favor do inglês Kyren Wilson, de 29 anos, quinto do ranking, diante do compatriota Gary Wilson, de 35 anos, 33.º da hierarquia. Gary, semifinalista no Mundial 2019 (11-17 ante Judd Trump) dominara a sessão inaugural, onde chegara a 5-1 (após 0-1) mas permitira ao ‘Warrior’ (‘Guerreiro’) Kyren encostar a 4-5.

 

Kyren, que Ronnie bateu 8-18 na final do Mundial-2020, não se fez rogado: entrou na sessão noturna no Crucible como saíra da matinal, a ganhar, até somar meia dúzia de ‘frames’ a seu favor e, pela segunda vez no jogo, na frente, no final da 12.ª partida: 7-5.

 

A tensão e o equilíbrio prevaleceram de então em diante: Gary, antigo motorista de táxi, estancou a hemorragia com o 6-7 e deixou tudo no princípio com a igualdade (7-7), até Kyren voltar a contar com inesperados lapsos do homónimo – a acusar mais a pressão para, com mais dois ‘frames’ sem resposta, encostar o rival às cordas a 9-7. Hora da briosa reação de Gary, a encostar a 8-9 e a relançar a emoção, antes do vice-campeão mundial mostrar estofo e não falhar no 18.º parcial, onde, com uma entrada de 73 pontos, fechou o jogo e a sua reviravolta no marcador, a fazer jus à alcunha: 10-8. Em 10 parciais, anotou três centenárias e mais seis entradas de 50 ou mais pontos. Cartão de visita apreciável.

 

Responsável pela eliminação do campeão mundial de 2019 e número um do Mundo, Judd Trump, no Mundial-2020 (13-9, ‘quartos’), Kyren defrontará nos ‘oitavos’ um de dois compatriotas, Barry Hawkins ou Matthew Selt.

 

Decidida com um tremendo ‘chouriço’ na decisiva bola preta do nono e último parcial, para 5-4 a favor de Ding Junhui, foi a sessão inaugural do duelo que opõe o chinês, de 34 anos, 8.º do ranking, ao campeão mundial de 2015, Stuart Bingham, de 44 anos, 17.º da hierarquia.

 

O inglês entrou melhor, chegou a 0-2, 1-3 e 3-4, mas o asiático, vice-campeão mundial de 2016 (vindo das qualificações, 14-18 ante Mark Selby) foi mais feliz e deixaram a decisão para terça-feira (e a mesa) ambos a sorrir, após Ding tentar embolsar a preta no canto superior direito e esta caprichosamente entrar no buraco do lado oposto.

 

Por último, mas não menos importante, o início do duelo de ingleses Jack Lisowski (de 29 anos, 14.º do ranking) com Ali Carter (41 anos, 23.º da tabela) concitava também as atenções.  No jogo do Captain com JackPot, Carter entrou melhor (0-2, 1-3), mas Lisowski reagiu: 5 parciais de rajada (!), a virar para 5-3. Ali venceu o último frame e encostou a 4-5 antes da decisiva sessão do duelo, na terça-feira. Com o australiano Neil Robertson nos ‘oitavos’ à espera do vencedor do duelo de Ali Carter com Jack Lisowski…

 

Terça-feira traz-nos na íntegra (1.ª sessão e conclusão) o duelo do norte-irlandês Mark Allen, de 35 anos, 11.º do ranking, com o chinês Lyu Haotian, de 23 anos, 53.º da hierarquia, e dois jogos só com ingleses: mais do que Barry Hawkins, de 41 anos, 12.º da tabela, frente a Matthew Selt, de 36 anos, 30.º do ranking. Mas o destaque vai, naturalmente, para a estreia do número um da hierarquia e triunfador de cinco provas da época - e campeão mundial em 2019 - Judd Trump, de 31 anos, frente a Liam Highfield, de 30 anos, 43.º da tabela… A apimentar o quinto dia do Mundial, expectativa ainda para as sessões finais dos jogos Ding Junhui-Stuart Bingham e Jack Lisowski-Ali Carter, ambos 5-4 para os primeiros…

 

O Mundial é a última prova da época 2020/2021 da World Snooker Tour, iniciou-se dia 17 do corrente mês e decorre até 3 de maio no Crucible Theatre, em Sheffield (Inglaterra). Distribui £2,385 milhões (€2,747 milhões) em prémios, das quais £500 mil (€576 mil) ao campeão.

 

Ronnie O’Sullivan defende o título conquistado em 2020 (18-8 a Kyren Wilson na final). A prova é transmitida para Portugal em direto (EuroSport) e os 16avos de final são jogados à melhor de 19 parciais: vence o primeiro a ganhar 10 (10-0 a possíveis 10-9).

 

Resultados de hoje, 16avos de final (apurados a negro):

Kyren Wilson-Gary Wilson, 10-8

Ding Junhui-Stuart Bingham, 5-4

John Higgins-Tian Pengfei, 10-7

Jack Lisowski-Ali Carter, 5-4

Anthony McGill-Ricky Walden, 10-5

 

Dia 20, 3.ª feira:

Mark Allen-Lyu Haotian (10 e 19 h, 1.ª sessão e conclusão)

Jack Lisowski-Ali Carter, 5-4 (10 h, conclusão)

Ding Junhui-Stuart Bingham, 5-4 (14.30 h, conclusão)

Judd Trump-Liam Highfield (14.30 h, 1.ª sessão)

Barry Hawkins-Matthew Selt (19 h, 1.ª sessão)

Ler Mais
Comentários (0)

Últimas Notícias