Tiroteio em Auckland: primeiro-ministro neozelandês garante que prova avança como previsto

Mundial Feminino-2023 Tiroteio em Auckland: primeiro-ministro neozelandês garante que prova avança como previsto

INTERNACIONAL20.07.202300:41

O primeiro-ministro da Nova Zelândia, Chris Hipkins, de 44 anos, reiterou na noite desta quarta-feira – já manhã de quinta-feira, dia 20, no país (mais 11 horas do que em Portugal Continental) – a consternação pelo tiroteio perpetrado por um atirador na baixa da cidade de Auckland, em que o suspeito do ato tresloucado, um indivíduo de 24 anos, do sexo masculino, acabou abatido pelos agentes da autoridade, mas não sem antes ceifar outras duas vidas e causar seis feridos (três deles em estado grave) com o tiroteio protagonizado num estaleiro de obras contíguo ao hotel onde a seleção da Noruega se encontra alojada para disputar o Mundial de Futebol Feminino da FIFA, que precisamente neste dia se iniciará com o encontro entre as anfitriãs neozelandesas e a Noruega, em Eden Park.

Portugal é uma das 32 seleções finalistas da prova, está também na Nova Zelândia - coanfitriã da prova, que decorrerá até 20 de agosto, com a Austrália - e irá defrontar os Países Baixos no domingo, dia 23, e o Vietname no dia 27, mas apenas com o terceiro e último jogo no Grupo E agendado para 1 de agosto em Auckland, diante das bicampeãs mundiais e 'número um' do ranking da FIFA, os EUA.

«A polícia foi alertada às 07h23 da manhã desta quinta-feira [18h23h desta quarta-feira ainda em Portugal continental]. É com profunda tristeza que confirmo que duas pessoas foram mortas. Há seis feridos, entre eles agentes da polícia, mas a segurança nacional não está em risco», disse o líder do Executivo local aos repórteres em Auckland, pelo que o Mundial Feminino da FIFA Austrália/Nova Zelândia-2023 «vai começar e decorrer», com 64 jogos até 20 de agosto nas duas nações da Oceânia.

Os operários retirados do estaleiro da obra confirmaram entretanto que o atirador, abatido pela polícia, «tinha uma ‘shotgun’ [espingarda automática] e movimentou-se à vontade pela obra, aos tiros, até acabar num elevador, onde foi abatido»… elevando o número de óbitos no tiroteio inopinado ocorrido na capital neozelandesa para três, no total.

«Os agentes da polícia que responderam à ocorrência foram verdadeiros heróis, cercando e lançando-se sobre o autor dos disparos. Não vos posso fornecer muitos mais dados, pois ainda vou reunir com o Comissário-Geral da polícia. Mas uma coisa vos garanto: todos os eventos relacionados com a prova, e o Mundial, vão prosseguir. O ato parece ter tido motivações individuais ainda por apurar, mas não dirigido contra quem quer que fosse em particular. Segundo sei, os outros dois mortos além do atirador serão civis. Não vejo necessidade de subir o nível de alerta de segurança nacional», afirmou Chris Hipkins, ainda ‘a quente’, em Auckland.

«O ministro dos Desportos da Nova Zelândia, Grant Robertson, já conversou com responsáveis da FIFA, que nos transmitiram as suas mais profundas condolências. Há várias seleções alojadas em Auckland nas redondezas do local onde tudo aconteceu, mas sabemos que estão todas bem. 11 minutos após o alerta de emergência, já os primeiros polícias chegavam ao local e ainda ouviram tiros. O helicóptero, para ajudar nas operações, também foi mobilizado de pronto», sublinhou Chris Hipkins, que estava a apanhar um avião para a cidade de Hamilton quando foi avisado do sucedido.

«Toda a Nova Zelândia está de luto e lamenta estas mortes. Mas estamos em contatos diplomáticos com todos os países, para lhes assegurar que não há qualquer risco. Todos estão novamente seguros, agora», concluiu Chris Hipkins.