Governo italiano também corta benefícios fiscais
Momento do duelo entre Roma e Milan, a 1 de setembro
Foto: IMAGO

Governo italiano também corta benefícios fiscais

Tal como irá acontecer em Portugal, estando já prevista a medida no Orçamento de Estado para 2024, também em Itália o Governo decidiu retirar os benefícios fiscais para trabalhadores que regressem ao país após dois anos de ausência e sem morada fiscal em Itália. A medida terá efeitos retroativos a 1 de julho deste ano, implicando, por isso, já algumas transferências realizadas no último mercado de transferências. 

Até aqui, os jogadores que regressassem ao país e residissem em Itália durante pelo menos dois anos depois de assinarem tinham um benefício fiscal de 20%, descontando 25% do salário bruto em vez dos 45% legalmente estipulados. Em Portugal, o Programa Regressar possibilitava aos trabalhadores fazerem os descontos a apenas metade do salário bruto.

Em Itália, a medida estava em vigor desde 2017 e irá continuar, mas com o valor máximo salarial de 600 mil euros por ano, não abrangendo, por isso, muitos futebolistas com vencimentos na ordem dos milhões de euros.

Vídeos

shimmer
shimmer
shimmer
shimmer