Fernando Santos: «Polónia? Eu, a federação e os jogadores, todos nós falhámos»
Fernando Santos à conversa com A BOLA (Foto: André Filipe)

Entrevista Fernando Santos: «Polónia? Eu, a federação e os jogadores, todos nós falhámos»

INTERNACIONAL11.11.202309:30

Técnico português diz que não tem nada a apontar a quem esteve com ele na terceira experiência enquanto selecionador, mas também que sente que se precipitou ao aceitar o cargo

Fernando Santos esteve apenas três jogos à frente da seleção polaca. Venceu três deles - Albânia (1-0) e Ilhas Faroé (2-0), da qualificação para o Europeu, e um particular com a Alemanha (1-0) - e perdeu outros tantos, diante de República Checa (3-1), Moldávia (3-2) e Albânia (2-0). Em entrevista exclusiva a A BOLA, o antigo selecionador luso assume que tomou uma decisão precipitada ao assinar pelos polacos.

–  Não acabou foi a certeza de que iria continuar no futebol e pouco depois aceitou o desafio de ir treinar a Polónia, mas não foi feliz...

–  Não. Foi uma decisão tomada depressa de mais. Todos temos alguma responsabilidade. Todos menos o povo. Só tenho de dizer bem do povo polaco, e das pessoas da federação e dos jogadores, que se esforçaram para trabalharem segundo as novas ideias. Mas todos nós falhámos. Eu, a federação e os jogadores, em pequenas coisas. E depois de uma conversa entre todos achámos melhor rescindir.

–  Na escolha da Polónia houve alguma precipitação. E agora?

 Agora... com calma. Obviamente espero continuar a trabalhar e acho-me com todas as condições para isso. Além disso já estou a ficar com dificuldades em manter-se sentado no sofá, com falta de adrenalina. Estou nisto desde os 18 anos. Acho que quando estive mais tempo parado foi entre o Panathinaikos e o Sporting, três ou quatro meses. E se calhar até foi um bom tempo, por isso agora também quero parar para pensar e olhar para as propostas com calma. Tenho tido algumas, mas depois da experiência da Polónia decidi que tenho de ter calma e alguma atenção.