Destaques do Casa Pia: nada correu bem em noite para esquecer
Geraldes, do Casa Pia, preparado para efetuar um lançamento lateral, com o seu treinador, Filipe Martins, ao lado. Foto: Atlantico Press/Imago.
Foto: IMAGO

Destaques do Casa Pia: nada correu bem em noite para esquecer

NACIONAL11.11.202300:04

Gansos viram-se em desvantagem ainda antes de se cumprir o primeiro minuto de jogo e raramente voltaram a encontrar-se em noite para esquecer

O Casa Pia procurava reagir ao último desaire – e à já longa sequência sem vencer para a Liga – mas depressa percebeu que estaria perante uma verdadeira noite dos horrores: apenas Ricardo Batista esteve próximo do seu melhor nível, o que evitou que os gansos pudessem ter sofrido males ainda maiores. A dinâmica ofensiva do Estoril causou constantes problemas ao setor defensivo do Estoril, no qual Zolotic foi, ainda assim, útil na segunda parte a juntar-se ao recém-entrado Beni, que entrou para trazer maior equilíbrio e organização ao meio-campo.

Nesse setor, salvou-se a irreverência de Neto (que sairia ao intervalo, condicionado com um cartão amarelo) e Pablo Roberto, que procuravam ocultar o marasmo atacante com diversas ações de finalização de meia e longa distância, mais e menos perigosas.

Nas alas, Jajá foi a unidade de maior inspiração, sem receio de partir para ações de 1x1 e a criar bons momentos atacantes para a equipa a partir da esquerda sendo que, a espaços, Yuki Soma conseguiu fazer o mesmo – com menor frequência, diga-se.
O jogo não passou, desta feita, por Clayton, muito esforçado na frente de ataque mas raramente bem municiado, tendo sido substituído por Felippe Cardoso para uma luta que acabou também por ser-lhe inglória.

As notas da equipa do Casa Pia: Ricardo Batista (6), João Nunes (4), Fernando Varela (4), Nermin Zolotic (5), Geraldes (4), Neto (5), Pablo Roberto (5), Leonardo Lelo (4), Yuki Soma (5), Jajá (6) e Clayton (5). Beni (5), Fernando Andrade (4), Tiago Dias (4) Felippe Cardoso (4) e Samuel Justo (-).

Vídeos

shimmer
shimmer
shimmer
shimmer