Bruno Lage fala em «gestão perfeita» e lembra experiência no Benfica

Botafogo Bruno Lage fala em «gestão perfeita» e lembra experiência no Benfica

INTERNACIONAL20.07.202309:50

No jogo de estreia como treinador do Botafogo (ver notícia relacionada), Bruno Lage promoveu várias alterações no onze habitual, decisão que levantou questões na conferência de Imprensa após o encontro.

«A equipa vem de uma sequência de jogos muito pesada, muitas vezes o mesmo onze e é preciso fazer rotação», justificou após o empate (1-1), em casa, com o Patronato que valeu o apuramento do Botafogo para os oitavos de final da Taça Sul-Americana.

O técnico português assumiu que o resultado da primeira mão (2-0) permitiu fazer essa rotação e defendeu que a equipa fez uma «gestão perfeita» do jogo. «Queríamos ganhar, mas saímos daqui com um conhecimento ainda maior do grupo. É isso que tiro de positivo», frisou.

Lage explicou ainda porque não acompanhou as críticas do seu antecessor, Luís Castro, ao calendário apertado a que a equipa está sujeita: «A minha experiência do passado é sempre esta, jogava no Benfica durante a semana para a Liga dos Campeões e durante o fim de semana para a Liga portuguesa. É olhar para cada jogador em cada momento e escolher o melhor onze. Hoje, este foi o melhor onze. Não é poupar, mas sim ver quem está melhor. Não vou olhar para daqui a três meses, mas sim para o momento.»

Sobre a pressão a que está sujeito por pegar a equipa na liderança do Brasileirão: «Há uma frase feita que é: ‘quando se ganha nem tudo está bem e quando se perde nem tudo está mal’. A pressão é igual em todo o lado. A pressão que coloco em mim é máxima, fico à vontade para falar sobre isso. Sei que essa pergunta vai se prolongar até o final. Essa questão da pressão está complemente ultrapassada.»