Apuramento Euro-2024: insaciável Espanha esmaga Chipre
Foto: IMAGO

Apuramento Euro-2024: insaciável Espanha esmaga Chipre

INTERNACIONAL12.09.202322:20

Exibição de gala em Granada, o 6-0 traduz a inequívoca superioridade espanhola. Em oito minutos, La Roja arrasou o adversário e deu a expressão que se impunha ao score.

Jogo de um só sentido no Nuevo Los Cármenes, em Granada: a Espanha foi superior em todos os momentos do jogo e, naturalmente, goleou Chipre por 6-0, mantendo-se na perseguição à Escócia, líder do Grupo A com 15 pontos, mas com mais uma partida do que La Roja, que esta terça-feira chegou aos nove pontos.

Demorou 18 minutos a seleção de Luis De la Fuente a desmontar o juntinho 3x5x2 cipriota, numa jogada tão simples quão eficaz, apenas três toques, o pé esquerdo de Gavi coroou o esforço de Nico Williams convocado pelo passe longo de Gayá.

Um quarto de hora mais e a cabeça de Mikel Merino, fulminante, deu melhor seguimento a novo passe de Nico Williams — antes de rasgar com o intervalo à vista, foi o extremo do Athletic literalmente o arquiteto do golo — em jogada de insistência na área cipriota. O médio da Real Sociedad estreou-se marcar pela seleção.

Aos 39 minutos, o pé esquerdo do prodígio Lamine Yamal desenhou portentoso remate, o poste direito da baliza de Mall defendeu uma bola que merecia ter entrado, Morata ainda recarregou com êxito, mas o ponta de lança do Atlético de Madrid estava ligeiramente adiantado, irregularidade que o VAR não deixou passar. 

O 2-0 ao intervalo, na perspetiva do adepto, acabou por ser escasso, afinal, olhando para alguns números, Espanha teve, na 1.ª parte, 80 por cento de posse, acumulou duas centenas e meia de passes certos e fez uma dúzia de remates sem resposta, desempenho que asfixiou os cipriotas, sempre incapazes de chegar à frente — a exceção foi mesmo um remate de Tzionis, aos 72 minutos, que Unai Simón encaixou.

Essa foi uma jogada em que a equipa de Temur Ketsbaia aproveitou o muito espaço concedido por uma balanceada Espanha, ainda a celebrar o 3-0 assinado aos 70 minutos pela cabeça de Joselu a cruzamento de Dani Carvajal, para experimentar o contragolpe.

Foram oito minutos de excelência de La Roja — depois de um período de menor fulgor —, aí a arrasar em definitivo a estratégia de Chipre. A explorar muitíssimo bem a largura, a equipa de Luis De la Fuente chegou à mão-cheia de golos, o 4-0 pincelado por deliciosa combinação entre Ferran Torres e Carvajal, com o avançado do Barcelona a finalizar (73), o 5-0 saído do pé direito de Álex Baena depois de uma assistência, de calcanhar, de Joselu, a evidenciar, se dúvidas houvesse, a fragilidade dos cipriotas.

A visão de Rodri e a agilidade felina de Ferran Torres fabricaram o 6-0, aos 83 minutos, com o médio do City a isolar o avançado blaugrana, que não perdoou.

Contas feitas, e depois do 7-1 aplicado à Geórgia, nova e justa goleada de Espanha, unida e imune ao caso Rubiales.