A análise de Duarte Gomes aos casos do Casa Pia-Sporting

Liga A análise de Duarte Gomes aos casos do Casa Pia-Sporting

NACIONAL19.08.202301:35

Dois erros relevantes, um deles justificado em comunicado do CA

Há dias em que as coisas não correm tão bem quanto esperamos. Foi o que aconteceu.

Nota do árbitro: 3

Nuno Almeida, um dos árbitros mais antigos do atual quadro, viajou até Rio Maior para dirigir o Casa Pia FC-Sporting CP de sexta-feira à noite. O algarvio (48 anos feitos no passado mês de julho) é um caso pouco habitual de longevidade assente em qualidade técnica, sensibilidade para a função e competência. A verdade é que há dias em que as coisas não correm tão bem quanto esperamos e queremos. Foi o que aconteceu ontem à equipa de arbitragem, sobretudo na etapa inicial. Mas já lá vamos.
 

Segue análise técnica aos lances mais relevantes do encontro:


1’ - Estavam ainda decorridos poucos segundos quando Clayton Silva protagonizou entrada duríssima sobre Ricardo Esgaio. O árbitro entendeu que a infração era gerível sob o ponto de vista disciplinar, mas equivou-se. A falta foi mesmo negligente e justificava cartão amarelo.
 

3’ - Golo inaugural da partida, com as seguintes notas em função do que se viu in loco: a imagem inicialmente transmitida pareceu sugerir que Paulinho estaria adiantado em relação a Vasco Fernandes, quando Ricardo Esgaio lhe endossou a bola; ao contrário do que é habitual, a Cidade do Futebol informou o operador que não disponibilizaria as linhas tecnológicas de fora de jogo durante a transmissão da partida. No final do jogo, foi tornado público um comunicado do Conselho de Arbitragem da FPF, em que era assumido erro de análise em sala, dando nota que o primeiro golo do Sporting devia ter sido anulado por fora de jogo de Paulinho (9 cms), ao invés de validado por 19 cms. Os erros com relevância são sempre de lamentar, a capacidade de os reconhecer de imediato são sempre de elogiar. Nota máxima para a nobreza da atitude do treinador lesado, Filipe Martins. Não é para quem quer, é só para quem pode.
 

15’ - Nuno Almeida fez bem em interromper a partida após haver indicação de que um espetador estaria em dificuldades nas bancadas do estádio. A pronta ação das equipas médicas foi também digna de elogio. Espera-se rápido e total restabelecimento a quem passou por esse infortúnio. A paragem para esse efeito durou cerca de 12 minutos, que foram adicionados no final da primeira parte.

36’ - Percebeu-se a tentativa bem intencionada de Nuno Almeida em retardar ao máximo a exibição de cartões, mas o agarrão de Vasco Fernandes a Gyokeres foi demasiado persistente e ostensivo. O avançado do Sporting só agarrou o colega quando se tentou equilibrar após ser carregado com persistência. Amarelo por mostrar ao central do Casa Pia.
 

38’ - Erro de análise da equipa de arbitragem, agora em lance relevante: Marcus Edwards tocou na bola e foi derrubado por pontapé imprudente de Zolotic, que chegou tarde à jogada. Percebe-se que em campo a queda tenha parecido teatralizada mas a infração existiu, teve causa/efeito e devia ter sido sancionada com pontapé de penálti favorável ao Sporting.
 

45+10’ - Zolotic entrou muito duro sobre Paulinho, em lance que Nuno Almeida esteve bem ao deixar seguir (a bola sobrou em boas condições para Morita). O casapiano podia ter sido advertido na interrupção seguinte.
 

45+12’ - Mal exibido o cartão amarelo a Beni. Nuno Almeida terá entendido que o médio angolano cortou ataque prometedor conduzido por Edwards, mas a verdade é que o seu desarme foi legal (Pablo Roberto sim, cometeu infração nas costas do adversário).
 

55’ - Fernando Varela foi bem advertido após pisar o pé de Pedro Gonçalves, fruto de entrada negligente. Esteve bem o árbitro.
 

58’ - Golo legal do Casa Pia: Clayton estava em posição regular quando Fernando Varela fez a assistência.
 

61’ - Mérito enorme de Nuno Almeida na jogada que culminou no segundo do Sporting CP: o árbitro algarvio aplicou a vantagem duas vezes consecutivas, permitindo que o lance não fosse interrompido antes da finalização acertada de Paulinho. Estas são as tais decisões que valem golos.
 

72’ - Cartão amarelo bem mostrado a Gonçalo Inácio após derrubar Godwin, impedindo a sua progressão para zona prometedora.
 

90’ - Neto viu com justiça o cartão amarelo após rasteirar Geny Catamo com clara negligência.
 

90+8’ - Geraldes foi advertido após entrar por trás, com alguma negligência, sobre as pernas de Mateus Fernandes.