Premier League procura vender direitos televisivos nos EUA por dois mil milhões de dólares

Desporto 15-09-2021 15:32

Atualmente, o contrato assinado com a Premier League envolvia a Comcast Corporation que paga à principal competição do futebol inglês 150 milhões de dólares (126 milhões de euros) por ano.

João Tereso Casimiro

A Premier League já começou a sondar o mercado dos Estados Unidos para vender os seus direitos televisivos naquele país, já que o atual contrato com a Comcast Corporation expira no final desta temporada. A liga inglesa pretende duplicar o valor da venda dos seus direitos, até 2 mil milhões de dólares (1,6 mil milhões de euros), segundo informação avançada pela “Bloomberg”.

Atualmente, o contrato assinado com a Premier League envolvia a Comcast Corporation que paga à principal competição do futebol inglês 150 milhões de dólares (126 milhões de euros) por ano. Devido ao impacto da pandemia de Covid-19 e influenciado pelo acordo recentemente assinado entre a LaLiga e a Disney, a competição pretende ultrapassar 300 milhões de dólares (253,8 milhões de euros) anuais.

“Queremos continuar com a Premier League. Na nossa nona temporada, trabalhamos para impulsionar a produção inovadora e fazer o desporto crescer nos Estados Unidos”, disse a NBC num comunicado.

A ESPN, propriedade da Walt Disney, concordou em maio deste ano pagar 175 milhões de dólares (148 milhões de euros) por ano pelos direitos da LaLiga até à temporada 2028/29. Depois do regresso de Cristiano Ronaldo às competições e do investimento da competição inglesa de 1,3 mil milhões de euros no mercado de verão, a Premier League pretende tornar-se o maior título do futebol europeu e multiplicar o seu rendimento nos Estados Unidos.

A expectativa é que grandes redes americanas como a ESPN, WarnerMedia e ViacomCBS participem na licitação do novo pacote de direitos televisivos, que terá início nos próximos meses. A Amazon também pode entrar na disputa pelos direitos, já que assumiu os direitos da Premier League em alguns países. Os direitos da televisão britânica para a competição são detidos pela Sky Sports (propriedade da Comcast), Amazon e BT Group.

Ler Mais