Sporting regista prejuízo de 23,5 milhões no terceiro trimestre da época desportiva

Desporto 31-05-2021 23:35

A sociedade do clube de Alvalade registou um prejuízo de 23,5 milhões de euros. A impactar o resultado líquido negativo do terceiro trimestre esteve a pandemia de covid-19. O volume de negócios caiu 52% no mesmo período.

Maria Teixeira Alves

A SAD do Sporting apresentou ao fim da noite de segunda-feira, na CMVM, o Relatório e Contas relativo ao terceiro trimestre da época 2020/21, concluído em 31 de março.

A sociedade do clube de Alvalade registou um prejuízo de 23,5 milhões de euros. A impactar o resultado líquido negativo do terceiro trimestre esteve a pandemia de covid-19. O volume de negócios caiu 52% no mesmo período, em termos homólogos. A Sporting SAD fechou o terceiro trimestre da época desportiva de 2020/21 com um volume de negócios de 75,1 milhões de euros.

O resultado negativos de 23,5 milhões de euros registado no seu terceiro trimestre fiscal da época de 2020/21, compara com lucros de 30,16 milhões de euros no mesmo período da época passada.

“O resultado líquido negativo de 23,5 milhões de euros é resultante do impacto da pandemia Covid-19: o mercado de transferências teve contração a nível mundial do número de transações e valor, que resultou numa quebra do volume de vendas de jogadores de 66 milhões de euros, sendo ainda assim de destacar as transações de Marcos Acuña por 10,5 milhões de euros acrescido de variáveis e de Marcus Wendel por 20,3 milhões de euros acrescido de variáveis; e a quebra nas receitas operacionais excluindo transações de jogadores, em 15 milhões de euros no trimestre e 20 milhões de euros, estimados, na época”, explica o Relatório e Contas.

“O modelo assente na formação, com 11 jogadores da formação na equipa” permitiu uma “redução dos gastos operacionais em 15,4 milhões de euros (19%), dos quais 3,3 milhões de euros são redução em gastos com pessoal (menos 7%), resultantes numa redução do déficit operacional excluindo transações de jogadores em 2%”, refere o relatório.

“Houve uma alteração de custos de estrutura, com a redução de 7% na massa salarial em 3,3 milhões de euros. De realçar que desde a época 2018/19, a redução salarial estrutural foi de cerca de 16 milhões de euros quando comparado com a época atual”, acrescenta o documento.

A SAD diz ainda que “a reestruturação no plantel principal efetuada ao longo das duas épocas anteriores, e que resultou num custo extraordinário em indemnizações, permitiu uma poupança estrutural muito significativa, estando a Sporting SAD agora a colher os frutos desse planeamento”.

Ler Mais