UEFA estima que clubes europeus vão perder 8,7 mil milhões de euros devido à pandemia de Covid-19

Desporto 21-05-2021 11:25

“No relatório do ano passado, disse que o futebol europeu era forte, unido, resiliente e pronto para novos desafios”, comentou o presidente da UEFA, Aleksander Ceferin, acrescentando que “ninguém poderia prever que teríamos de enfrentar o maior desafio para futebol, desporto e sociedade nos tempos modernos”.

João Tereso Casimiro

O estudo anual ‘European Club Footballing Landscape’ indica que a projeção atual de perdas de receita nos exercícios de 2019-2020 e 2020-2021 é de 7,2 mil milhões de euros para os clubes de alto nível, valor ao qual se acrescenta 1,5 mil milhões de euros, respeitante aos clubes níveis inferiores.

“No relatório do ano passado, disse que o futebol europeu era forte, unido, resiliente e pronto para novos desafios”, comentou o presidente da UEFA, Aleksander Ceferin, acrescentando que “ninguém poderia prever que teríamos de enfrentar o maior desafio para futebol, desporto e sociedade nos tempos modernos”.

Desde o início da pandemia, as ligas nacionais e as competições europeias, tanto a Liga dos Campeões como a Liga Europa, têm sido disputadas à porta fechada, levando a uma queda significativa nas receitas. “Todos os níveis e todas as áreas do futebol profissional foram duramente atingidas”, diz o relatório do órgão dirigente do futebol europeu. “Os clubes fortemente dependentes da presença de adeptos foram particularmente afetados pela pandemia”, detalha.

A redução na receita, em simultâneo, resultou num corte de gastos, a ponto das transferências de jogadores entre clubes europeus durante a janela de verão do ano passado cairem 39%. A Uefa reagiu à crise pandémica reduzindo temporariamente as regras do Fair Play Financeiro (FFP), destinadas a garantir o equilíbrio dos clubes, para que não gastem mais do que recebem.

“Este relatório mostra claramente que agora estamos a operar numa nova realidade financeira, e é cada vez mais evidente que os nossos regulamentos FFP atuais terão que ser adaptados e atualizados”, disse Ceferin. “A UEFA e o futebol europeu trabalharão como uma equipa para melhorar o nosso desporto com novas regras para um novo futuro”, acrescentou.

O novo regulamento estará focado nos salários dos jogadores e no investimento em transferências, explica Andrea Traverso, diretora de sustentabilidade financeira da UEFA. O relatório alerta que esses dois aspetos “devem ser reduzidos a níveis aceitáveis” para controlar os custos dos clubes.

Ler Mais