‘Champions’ em Lisboa. Olympique Lyon: ‘carrasco’ do Benfica e de Ronaldo chega a Lisboa como ‘outsider’

Desporto 12-08-2020 18:10

A dificuldade em competir por títulos domésticos face ao poderio do PSG tem sido um problema para o clube que, na primeira década do século XXI, tinha a hegemonia do futebol francês, vencendo sete títulos seguidos de 2001 a 2007. A segunda equipa menos valiosa da Champions terá pela frente um dos plantéis mais completos e valiosos do mundo, sob o comando de um dos melhores treinadores da história, o Manchester City de Pep Guardiola.

João Tereso Casimiro

O clube francês foi um dos carrascos do SL Benfica, relegando o clube português para a Liga Europa. As grandes exibições coletivas são a imagem de marca do Olympique Lyon que tem feito uma campanha de sonho na liga milionária. A vitória frente à poderosa Juventus não estava nos planos de muitos adeptos, especialmente tendo em conta que a liga francesa não foi retomada depois da paragem desportiva provocada pela pandemia de Covid-19.

A dificuldade em competir por títulos domésticos face ao poderio do PSG tem sido um problema para o clube que, na primeira década do século XXI, tinha a hegemonia do futebol francês, vencendo sete títulos seguidos de 2001 a 2007. A segunda equipa menos valiosa da Champions terá pela frente um dos plantéis mais completos e valiosos do mundo, sob o comando de um dos melhores treinadores da história, o Manchester City de Pep Guardiola. Ainda assim, a vitória frente à Juventus mostrou, mais uma vez, que o dinheiro por si só, não vence jogos e, como tal, o conjunto francês não pode ser descartado da competição.

Pandemia atrasou a valorização recorde dos franceses

Segundo o portal “Statista”, o clube de Lyon vale hoje 543 milhões de euros, fazendo com que seja um dos mais valiosos da Europa. Apesar de não conseguir, a nível financeiro, competir com o rival PSG, o sucesso histórico do Olympique Lyon tem atraído os investidores a que se juntam os bons negócios de jogadores. As receitas, segundo o portal “MarketScreener”, estão divididas entre bilheteira (35 milhões de euros), direitos televisivos (102 milhões de euros) e vendas dos produtos do clube (13 milhões de euros).

Face à pandemia de Covid-19, o clube perdeu 11% das suas receitas totais, passando dos 309 milhões de euros, para os 276 milhões de euros. Antes da paragem forçada do campeonato, o clube registava ganhos significativos ano após anos, sendo que nos primeiros nove meses da temporada 2019/20 o clube atingiu um novo máximo (recorde) de 265 milhões de euros, um aumento de 41,9 milhões de euros (+19%) face aos 223 milhões no período homólogo da temporada 2018/2019, segundo o portal “MarketScreener”.

Sai a Hyundai, entra a Emirates

A Adidas é responsável por fabricar os equipamentos de jogo e de treino do clube de Lyon, uma parceria que já dura desde 2010. A marca de artigos desportivos alemã estendeu recentemente o contrato com os franceses até 2025, sem que os detalhes do contrato fossem revelados.

A fabricante de automóveis sul-coreana Hyundai é outro dos principais patrocinadores do Olympique de Lyon. O acordo entre as duas partes durou oito anos, valendo aos cofres do clube francês cinco milhões de euros ao ano, fazendo com que a Hyundai figurasse como o principal patrocínio nas camisolas de jogo. O acordo termina nesta temporada.

O novo patrocinador do clube francês será a Emirates, um acordo que, para já, vai durar até 2025. A companhia aérea dos Emirados Árabes Unidos vai figurar no centro das camisolas de jogo do Olympique Lyon, pagando ao clube francês 20 milhões de euros por ano, segundo o portal “SportBuzzBusiness”.

Vendas recorde prejudicaram a competitividade doméstica

Conhecido como um dos melhores clubes formadores europeus, a temporada de 2019/20 não foi exceção. O clube teve um lucro histórico, em relação à venda de jogadores, encaixando 158 milhões de euros nos cofres do clube, com as vendas de nove jogadores.

Ainda assim, o clube viu-se forçado a ir ao mercado para colmatar as saídas de alguns dos jogadores mais importantes do plantel, gastando um total de 126 milhões de euros na contratação de 11 jogadores. Aqui destaca-se a compra de Bruno Guimarães que era um dos alvos do SL Benfica, por 20 milhões de euros.

Última oportunidade para Rudi Garcia

Com um plantel avaliado em 358 milhões de euros, segundo o “TransferMarkt”, o Olympique de Lyon tem muita qualidade e as exibições falam por si. Apesar de não ter sido suficiente para jogarem as competições europeias na próxima época, o clube conta com alguns dos melhores jogadores do campeonato francês, como Memphis Depay, Houssem Aouar e Moussa Dembélé.

O trio ofensivo será fundamental para contrariar o Manchester City naquele que poderá ser um jogo chave para convencer os jogadores a permanecerem no clube, mesmo sabendo que não vão disputar as competições europeias na próxima temporada.

O treinador espanhol Rudi Garcia assumiu a equipa no início desta temporada, mas não fosse a boa campanha na Liga dos Campeões e, muito provavelmente, já não estaria ao comando dos franceses. A imprensa francesa tem sido muito critica à prestação do espanhol, que vindo do rival Marselha, não conseguiu empurrar a equipa para outros patamares. Também o jogo frente ao Manchester City poderá ser decisivo para a continuação do espanhol.

Ler Mais