Acusação a Rui Costa: águias atacam CD e visam Pepe e o FC Porto

Benfica 18-05-2022 13:44
Por Redação

O Benfica, como A BOLA adiantou na sua edição desta quarta-feira, ficou indignado com a apreciação do Conselho de Disciplina (CD) da Federação a declarações do presidente Rui Costa  após o jogo com o Gil Vicente, na Luz, que os encarnados perderam por 1-2.
 

A publicação News Benfica é especialmente dura para com o CD. «Aí está ela, mais uma, a solidificar a ideia do caráter singular, caricato e imprestável da equipa que compõe o Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol, particularmente notabilizada por decisões e apreciações estapafúrdias, como estas da multa ao Presidente do Sport Lisboa e Benfica, Rui Costa, e da argumentação que a suporta.

Basta deste Conselho de (in)Disciplina! É tempo de colocar um travão neste desvario», diz a nota.

 

O presidente encarnado foi condenado a uma multa de 1150 euros, mas é o teor do acórdão que escandaliza o Benfica, citando o caso recente de Pepe:

 

«Rui Costa disse "basta" e foi acusado de incitamento à violência. Isto é grave. Diz o Conselho de (in)Disciplina que a palavra se enquadra numa ´aproximação perigosa, ainda que subrepticiamente, de um incitamento a comportamentos violentos por parte dos adeptos´. E, para agravar, recusa a atenuante dos serviços prestados por Rui Costa ao futebol e ao país, os mesmos evocados para aligeirar o castigo ao jogador do FC Porto, Pepe. Má sorte de Rui Costa, que já não está disponível para representar a Seleção e que, ao contrário de Pepe, não tem inúmeros vídeos publicados no Youtube com agressões e outras tropelias perpetradas ao longo da carreira.»
 

Dr. Jekyll, Mr. Hyde e o FC Porto

Seguem-se acusações ao CD, sugerindo-se que tem dois pesos e duas medidas. «No limite, é o próprio Conselho de (in)Disciplina a incorrer em ´aproximação, ainda que subrepticiamente a comportamentos violentos por parte dos adeptos´. Fá-lo, por exemplo, ao branquear, nuns casos, a violência em campo, noutros a castigar quem, no exercício da liberdade de expressão, legítima e cordatamente, manifesta o seu desagrado após uma arbitragem miserável. Faz lembrar a obra de Robert Louis Stevenson, "O estranho caso de Dr. Jekyll e Mr. Hyde". Só é pena que este Conselho de (in)Disciplina pareça reunir-se durante o dia numas ocasiões, noutras à noite, especialmente quando se trata do Benfica.»
 

Sobra ainda a lembrança de episódios que envolveram os rivais, nomeadamente o FC Porto, embora o campeão nacional não seja diretamente citado pelo nome: «Por fim, se dizer "Basta" é considerado um incitamento à violência, o que dizer das reiteradas manifestações de regionalismo bacoco, da violência em campo, do comportamento selvático nos relvados após desaires, de assistentes de recinto desportivos a insultar e agredir jogadores, de bonecos insuflados "enforcados" em viadutos, da estranha predileção pelo arremesso de bolas de golfe, de pedras lançadas sobre carros e autocarros em autoestradas, de roubos de bilhetes em Tondela, de insultos a adversários durante festejos, da coação e intimidação a árbitros no Centro de Alto Rendimento da Maia, etc., etc., etc.?»

Ler Mais
Comentários (124)

Últimas Notícias