Defesa português pode salvar-se de acusação de racismo

Corinthians 21-05-2022 11:41
Por Redação

O Corinthians, clube orientado pelo técnico português Vítor Pereira, solicitou uma análise labial, através de imagens televisivas, ao Centro de Perícias de Curitiba, que concluiu que o defesa luso não chamou Edenílson, jogador do Internacional de Porto Alegre, de «macaco».

 

Segundo o relatório, revelado pela ESPN Brasil, o ex-Santa Clara que chegou a ser detido pelas autoridades no final do encontro (terminou empatado a duas bolas) no Beira Rio e garantiu repetidamente a sua inocência, proferiu, não a palavra «macaco», mas sim o palavrão «car...», explicando que a sílaba 'ma', que inicia a palavra 'macaco', só pode ser pronunciada a partir da junção dos lábios, sendo impossível dizê-la de forma diferente. Segundo o documento, a ação de juntar os lábios não se verificou por parte de Rafael Ramos.


O diálogo entre os futebolistas terá sido o seguinte:
Rafael Ramos - "Ei, você tá louco?!"
Edenílson - "Maluco!"
Rafael Ramos: "Pô, car...!"

 

Assim, o Centro de Perícias de Curitiba concluiu: «Diante das características intrínsecas descritas e demonstradas no decorrer deste parecer, torna-se evidente que a palavra ‘macaco’ não consta na fala questionada, ficando comprovado que em nenhum momento houve a junção labial no início da pronúncia.»

Ler Mais
Comentários (19)

Últimas Notícias