«Escalámos a montanha e temos um propósito claro, ganhar a final»

Brasil 26-11-2021 19:34
Por Redação

O treinador português Abel Ferreira, que comanda o Palmeiras, analisou hoje, em conferência de imprensa realizada no Estádio Centenário, em Montevideu, capital do Uruguai, que será o palco da final da Taça Libertadores, diante do Flamengo, com início agendado para as 20 horas portuguesas, mostrando-se tranquilo mas cheio de ambição.

 

À conversa com os jornalistas, o técnico luso não se deixa intimidar pelo histórico dos duelos com o Flamengo: «Apesar de o Palmeiras já não ganhar há mais de quatro anos (ao Flamengo), temos a oportunidade de o fazer amanhã. A minha história no Palmeiras tem sido fazer história com estes jogadores.»

 

Assim, Abel Ferreira deixou o mote, cheio de ambição, para o duelo brasileiro na final daquela competição, o equivalente na versão sul-americana à Champions League na Europa: «Escalámos a montanha e temos um propósito claro desde o primeiro dia, ganhar a final. Foi assim que encarámos cada etapa da montanha. Estamos aqui por mérito e esforço, pela ajuda de muita gente, pelo caráter, competência e acreditar dos nossos jogadores.»

 

O técnico, que venceu a Taça de Libertadores, pelo Palmeiras, em 2020, demonstra uma grande confiança no grupo que comanda e deixa claro o que é necessário fazer para vencer: «Quero que cada jogador seja fiel ao seu jogo e jogue de forma coletiva. Só peço isso. Se isso acontecer, no final, o nosso objetivo será atingido.»

 

Acima de tudo, o treinador português, natural de Penafiel, de 42 anos, quer afastar o nervosismo da equipa: «Quanto mais pensarmos no que vai acontecer no final, mais nos esquecemos do que temos de fazer no jogo. Os jogadores precisam de calma, tranquilidade e a certeza do que fazer. É isto que passo aos meus jogadores, eles estão preparados, cada um sabe o que tem de fazer em campo.»

 

O ex-técnico do Sporting, nas equipas júnior e ‘B’, SC Braga e Paok Salónica, reforça a ideia: «A tática é 30 por cento do jogo. Os outros 70 por cento vêm da capacidade de lidar com momentos de tensão. E quando penso na pressão, sinto gratidão e agradeço por estar aqui. Estou grato por estar aqui. O resultado será a consequência do que fizermos em campo.»

 

E prossegue: «Eu e meus jogadores temos a certeza do que fazer, estamos muito gratos, estamos aqui com muito mérito. Vamos desfrutar da final com responsabilidade. Quantos não gostariam de estar no meu lugar ou do Felipe Melo (capitão do Palmeiras, que estava sentado ao lado do treinador, na conferência, para também responder a questões). É um privilégio estar aqui e temos de desfrutar.»

 

O técnico deixou ainda uma palavra especial, de elogio ao capitão de equipa, de 38 anos, antigo internacional pela canarinha (22 jogos/2 golos): «O Felipe (Melo) demonstra o espírito dos nossos jogadores. Ele é importante quando joga, quando está no banco, quando está fora. Tem esta aura de títulos (tem 14 na carreira, um dos quais a Taça das Confederações, pela seleção brasileira), empresta-nos experiência e a única coisa que lhe digo é que se prepare, porque amanhã vai jogar.»

Ler Mais
Comentários (1)

Últimas Notícias