Caso de Gerson na justiça de Crimes Raciais e desportiva

Flamengo 21-12-2020 16:58
Por Redação

O Flamengo vai denunciar o caso em que Gerson acusa um jogador do Bahia de racismo durante o Flamengo-Bahia deste domingo, para o Brasileirão. 

 

Rodrigo Dunshee, vice-presidente do clube para a área jurídica, disse ao canal SporTV que o caso vai ser reportado à Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância, onde será registada uma queixa contra o jogador colombiano Juan Ramirez, do Bahia. O organismo brasileiro vai ouvir o jogador e outras pessoas envolvidas no caso que ocorreu no jogo de domingo, em que Gerson acusou Ramirez de lhe ter dito «Cala a boca, negro».

 

«O Flamengo quer prestar todo o auxílio nesta situação desagradável, o Gerson não vai ficar sozinho», disse Dunshee, adiantando que o Flamengo também vai pedir punição desportiva, recorrendo ao Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD). Além de Ramirez, o clube vai denunciar também o treinador Mano Menezes, que foi demitido do Bahia logo depois do jogo, e que também discutiu com Gerson.

 

«Por muito menos os jogadores do PSG saíram de campo. Nesse caso agora foi uma ofensa direta», justifica o dirigente.

 

O árbitro do jogo, Flavio Rodrigues de Souza, justificou no relatório do jogo as expulsões de Gabigol e de Daniel e citou a acusação de racismo feita por Gerson, mas sublinha que não viu: «Aos 7 minutos do segundo tempo houve um conflito entre os jogadores Gerson e Ramirez, onde o jogador do Flamengo alega ter sido chamado de 'negro' pelo adversário mencionado. Informo que este suposto ato não foi percebido por nenhum membro da equipa de arbitragem no campo de jogo.»

 

O Bahia deu também início a um processo interno referente a Ramírez. Depois de o treinador ter sido demitido, o jogador foi afastado dos trabalhos do grupo, apesar de, garantem, negar as acusações,  e o clube pediu também imagens do jogo.

 

Caso entregue à Justiça

Por seu lado, o STJD vai analisar o relatório do jogo e o vídeo para verificar como agir no caso, mas emitiu já comunicado dando conta que está a par do assunto: «A Procuradoria do STJD vem informar que está ciente dos fatos ocorridos na partida entre Flamengo e Bahia, pela Série A do Campeonato Brasileiro e que aguardará o recebimento da súmula e vídeo da partida para analisar a denúncia de injúria racial feita pelo atleta Gerson, do Flamengo. A Procuradoria repudia qualquer tipo de ato discriminatório, reforça que injúria racial é crime e se une a todos os clubes, Federações e atletas que buscam um futebol mais justo e igualitário para todos os géneros, classes e raças.»

 

O organismo fala mesmo nas penas que podem ser aplicadas: «Existe na sua legislação desportiva artigo específico para prática de atos discriminatórios e que, para esses casos, a tolerância é zero. Art. 243-G. Praticar ato discriminatório, desdenhoso ou ultrajante, relacionado a preconceito em razão de origem étnica, raça, sexo, cor, idade, condição de pessoa idosa ou portadora de deficiência: PENA: suspensão de cinco a dez partidas, se praticada por atleta, mesmo se suplente, treinador, médico ou membro da comissão técnica, e suspensão pelo prazo de cento e vinte a trezentos e sessenta dias, se praticada por qualquer outra pessoa natural submetida a este Código, além de multa, de R$ 100,00 (cem reais) a R$ 100.000,00 (cem mil reais).»

 

 

Ler Mais
Comentários (32)

Últimas Notícias

Mundos