Evanilson revela drama: «Quase parei de jogar quando a minha mãe faleceu»

FC Porto 29-10-2020 11:20
Por Pascoal Sousa

Evanilson somou segunda presença na Liga dos Campeões ao ser lançado por Sérgio Conceição nos últimos 20 minutos da partida com o Olympiakos. Ciclo animador para o jovem ponta de lança brasileiro, que no espaço de seis dias fez a estreia da milionária competição da UEFA - 10 minutos frente ao Manchester City -, marcou o golo do triunfo por 1-0 sobre o Gil Vicente, na 5.ª jornada da Liga e, pelo meio, foi chamado pela primeira vez à seleção olímpica do Brasil.

 

«É um sonho de criança, não só meu como de toda a minha família. Estou muito orgulho e feliz pelos primeiros três pontos da Champions», soltou Evanilson em declarações reproduzidas pelo portal brasileiro Esporte Interativo.

 

Familiarizado com algumas diferenças no léxico futebolístico dos países irmãos - «é, ia dizer camisola, mas tenho de dizer camisa, que estou a falar para o Brasil», brincou -, o avançado do FC Porto vacilou quando recordou a mãe, falecida de doença súbita em 2017.

 

«Quase parei de jogar futebol quando a minha mãe faleceu. Fiquei sem chão, tive de ir para Fortaleza e quase não voltava mais ao Fluminense. A minha esposa [na altura namorada] e o meu empresário ajudaram-me bastante, disseram-me que lá em cima ela ficaria orgulhosa de mim. Faço tudo por ela, espero que esteja orgulhosa de mim», relatou, emocionado.

 

Voltando à sua melhor fase no FC Porto, Evanilson saiu de um certo anonimato a que esteve votado até à estreia, frente ao City. Foi sendo refinado fisicamente por Sérgio Conceição para estar pronto a explodir. E assim foi.

 

«Aconteceu tudo muito rápido na minha vida. Esta semana fiquei muito feliz. Fiz a estreia na Champions com a camisola do FC Porto e entrei pela primeira na convocatória para a seleção [olímpica do Brasil, n.d.r.]. Fiquei muito feliz também pelo meu primeiro golo no jogo passado. Estou muito orgulhoso de mim, do meu trabalho, é continuar firme», um desejo partilhado por um grupo unido, que o acolheu muito bem:

 

«Estou cada vez mais habituado, o grupo abraçou-me, é muito bom. A equipa é maravilhosa e estou a aprender muito com Sérgio Conceição no dia a dia. Todo o trabalho dele é importante para mim. Estou a evoluir e vou continuar a trabalhar para melhorar mais.»

 

No coração permanece o clube que lhe permitiu viver o sonho europeu, o Fluminense.

 

«Acompanho todos os jogos. Trouxe as camisolas do Fluminense, vou fazer um quadro e deixá-las aqui», prometeu o ponta de lança brasileiro.

Ler Mais
Comentários (14)

Últimas Notícias