Treinadores portugueses tentam promoções nos campeonatos estaduais

Brasil 16-10-2020 20:40
Por João Esteves

Com os treinadores portugueses de novo na primeira linha dos media, no balanço da contratação de Ricardo Sá Pinto, de 48 anos, pelo Vasco da Gama, o mais português dos clubes brasileiros (a Portuguesa dos Desportos, e outras Portuguesas como a do Rio de Janeiro ou a Santista, estão há muito afastadas das competições nacionais), A BOLA revela-lhe, agora, três outros treinadores portugueses que procuram ainda afirmar-se e catapultar as suas carreiras para outros patamares de exigência, e vão lutar, até final do ano, por promoções nos campeonatos estaduais (carioca, cearense e amazonense).

 

João Mota assimiu desafio do Tigres do Brasil

Iniciou a pré-época na passada quarta-feira, não tem ainda o plantel completo, mas mostra-se satisfeito com as condições de trabalho que encontrou em Duque de Caxias, no Rio de Janeiro. Um centro de treinos com cinco campos relvados, sala de musculação bem equipada, hotel, refeitório e um estádio moderno permitem ao técnico, de 54 anos, ambições na prova, depois de, já em 2020, ter trabalhado na seleção Sub20 da Arábia Saudita e no Rio Branco, do Acre. A aposta passa pelo promoção ao Carioca B1 e a estreia está marcada para 5 de novembro, em Arraial do Cabo.

 

Itapioca é o quarto clube de Luís Miguel Oliveira em 2020

Há muitos anos no Brasil, é entre os treinadores portugueses o recordista de clubes (30, alguns com mais do que uma passagem). Só em 2020, o Itapipoca é o quarto clube do técnico de 48 anos. Começou o ano no Cascavel, no Paraná, mudou-se para o Timon, do Piauí, e depois voltou ao Pinheiro, do Maranhão. Na segunda do cearense quer lutar pela subida de divisão mesmo que reconhecendo que, à partida, há clubes que se apresentam com maiores orçamentos.

 

Paulo Morgado aposta no sucesso no JC Itacoatiara

Mesmo com pontuais passagens por campeonatos de outros estados, o técnico, de 45 anos, especializou-se no futebol amazonense. E tem novo desafio pela frente, ao assumir o JC Futebol Clube, da cidade de Itacoatiara, jovem clube fundado em 2019 e que, na opinião do treinador português, oferece boas condições de trabalho (academia) para tentar a promoção à elite do futebol amazonense. Talvez por isso tenha recusado, já este mês, um convite do Baré, de Roraima, que disputa a Série D. A estreia oficial é já este sábado, em casa, frente ao Tarumã.

Ler Mais
Comentários (0)

Últimas Notícias