Carlos Agostinho do Rosário deixa Assembleia da República

Moçambique 20-01-2020 18:14
Por Alexandre Zandamela, Maputo

Carlos Agostinho do Rosário, que no passado sábado foi empossado pelo Presidente da República, Filipe Nyusi, para o segundo mandato como Primeiro-Ministro, vai deixar o seu lugar de deputado da Assembleia da República, para o qual havia tomado posse no dia 13 de Janeiro.

 

Eleito pelo círculo eleitoral da província de Manica, como cabeça-de-lista, Carlos Agostinho do Rosário abandona o Parlamento em virtude de, segundo a legislação moçambicana, a função de deputado ser incompatível com a de governante, daí a irreversibilidade de deixar a Casa do Povo.

 

Nas mesmas circunstâncias, deixam a Assembleia da República a sua anterior Presidente, Verónica Macamo, ora Ministra dos Negócios Estrangeiros e Cooperação; Carmelita Namashulua, Ministra da Educação e Desenvolvimento Humano, ambas eleitas deputadas pelo círculo da província de Maputo.

 

Por estas incompatibilidades, está também a ex-Chefe da Bancada Parlamentar da Frelimo, Margarida Talapa, Ministra do Trabalho, Emprego e Segurança Social, que tinha sido eleita pela provínvcia de Nampula, o maior círculo eleitoral de Moçambique.

 

Do anterior Governo – e até aqui não se sabendo ainda se exercerão cargos governamentais – estão na Assembleia da República Jaime Basílio Monteiro, que foi Ministro do Interior, Conceita Sortane, ex-Ministra da Educação e Desenvolvimento Humano; Nyeleti Mondlane, antiga Ministra da Juventude e Desporto, e Vitória Diogo, ex-Ministra do Trabalho, Emprego e Segurança Social.

Ler Mais

Últimas Notícias