Presidente eleito aponta tomada de posse para 15 de fevereiro

Guiné-Bissau 03-01-2020 21:48
Por Lusa

Umaro Sissoco Embaló, Presidente eleito da Guiné-Bissau, disse, esta sexta-feira, que está a pensar marcar a tomada de posse para 15 de fevereiro, porque o país está parado e «há muito por fazer».

 

«Já falei com o Presidente cessante José Mário Vaz e estou a pensar para lá de 15 de fevereiro. Não tenho pressa em tomar posse, mas o país está parado e há muito por fazer», disse Umaro Sissoco Embaló.

 

O Presidente eleito, disse, à comunicação social no aeroporto internacional Osvaldo Vieira, em Bissau, momentos antes de viajar para uma visita ao Senegal.

 

«O país está numa situação económica complicada e também não posso abusar dos escassos meios para fazer uma grande festa. Queria fazer uma celebração simbólica com os amigos. Tenho poucos amigos e bons», afirmou.

 

Sobre a sua visita ao Senegal, Umaro Sissoco Embaló disse que vai a Dakar a convite do chefe de Estado senegalês, Machy Sall.

Umaro Sissoco Embaló reafirmou o seu compromisso com o povo guineense, salientando que venceu as eleições com o voto do povo «e não da elite do país».

 

«Desta vez haverá solução para a Guiné-Bissau e para todos os guineenses sem exclusão. Mas uma coisa é certa haverá rigor e disciplina e cada um vai saber qual é a sua tarefa, independentemente de onde esteja», afirmou.

Umaro Sissoco Embaló disse também que não vai banalizar a função de chefe de Estado, nem a República da Guiné-Bissau.

 

«A primeira coisa que temos de fazer é unir o povo e dar confiança aos guineenses, sem arrogância, porque temos de ter respeito mútuo», frisou.

 

Umaro Sissoco Embaló regressa ao país durante a próxima semana.

 

Segundo os resultados provisórios da Comissão Nacional de Eleições guineense, divulgados  na quarta-feira, Umaro Sissoco Embaló venceu as presidenciais com 53,55% dos votos, enquanto Domingos Simões Pereira obteve 46,45%.

Ler Mais

Últimas Notícias

Mundos