Direcção do Textáfrica demite-se em bloco

Moçambique 03-12-2019 15:45
Por Alexandre Zandamela, Maputo

O Grupo Desportivo e Recreativo Textáfrica do Chimoio está sem Direcção desde este sábado, depois da demissão em bloco do elenco que vinha sendo presidido por Michel Ussene.

 

Numa Assembleia-Geral Extraordinária havida na Soalpo, a Direcção do clube que conquistou o primeiro Campeonato Moçambicano de Futebol da 1ª Divisão, em 1976, sob a batuta do falecido Mário Coluna, invocou a falta de recursos financeiros para o sustento da colectividade como causa principal da sua saída.

 

De acordo com Michel Ussene, cujo trabalho vinha sendo aplaudido pelos sócios e simpatizantes, por ter conseguido com sucesso manter a equipa no Moçambola, o clube está sem meios para a sua sobrevivência e deve três meses de salários aos jogadores e equipa técnica.

 

«Contactámos mais de 200 empresas e instituições, não só de Manica como também de outras províncias, a solicitar apoio para o clube, mas não tivemos nenhuma resposta positiva. O Textáfrica está neste momento a viver do bolso de três dirigentes e já injectámos 18 milhões de meticais que não sabemos se um dia ser-nos-ão reembolsados. A situação está bastante crítica», explicou o presidente demissionário.

 

Michel Ussene diz que, apesar de algum apoio do governo provincial de Manica, este não sé suficiente para fazer face à carteira de despesas mensais que o clube possui, sendo que a prioridade tem sido os ordenados dos atletas, mas, mesmo assim, tem sido muito difícil.

 

Com a demissão de Michel Ussene e seus pares, a Assembleia-Geral da colectividade nomeou uma Comissão Administrativa para dirigir os destinos do clube, numa altura em que se está a apenas uma jornada da conclusão do Moçambola, e os fabris da Soalpo encontraram-se na sétima posição, com 39 pontos.

Ler Mais

Últimas Notícias