A garantia de Rui Vitória na apresentação como selecionador

Egito 20.07.2022 14:38
Por Redação

Rui Vitória foi apresentado, esta quarta-feira, no Cairo, como novo selecionador do Egito.


O treinador português, de 52 anos, regressa, assim, ao ativo, depois de ter deixado o Spartak Moscovo, em dezembro último.

«Todos os países e ‘futebóis’ têm coisas boas e coisas más. Enquanto treinador nunca vou estar a dizer que queria uma equipa melhor, as armas que temos são as com que vou trabalhar. Mãos à obra, vamos enfrentar a situação, seja ela melhor ou pior», começou por dizer, em conferência de imprensa.   
 

Questionado sobre o que tem na manga para trabalhar na seleção, Rui Vitória deixou uma promessa: «Sou um treinador que me preocupo com o que os meus colegas, seja de clubes ou seleções, que estão a trabalhar, tenho visão muito abrangente. Nunca me preocupei só com a minha equipa e não é pela idade nem pelo país que os treinadores são melhores ou piores. Há qualidade em todo o lado, uma coisa que é importante: comigo vai haver ligação com os treinadores. Os países só evoluem com esta ideia de projeto. Tenho uma identidade, mas ninguém pense que isto é como estalar os dedos, há um trabalho que tem de ser feito em conjunto. Queremos ser uma equipa que chega e se impõe no campo, umas vezes conseguimos outras o adversário terá mais qualidade, mas o nosso modelo é uma equipa que se vai querer impor dentro do campo com qualidade de jogo.»


De realçar que o primeiro grande desafio de Rui Vitória passa por qualificar o Egito para o Campeonato Africano das Nações de 2023. Os faraós encontram-se no último lugar do Grupo D, após terem vencido a Guiné-Conacri (1-0) e terem perdido com a Etiópia (0-2).
 

Amanhã, quinta-feira, Rui Vitória vai assistir ao duelo entre os portugueses Jesualdo Ferreira e Ricardo Soares, treinadores de Zamalek e Al Ahly, respetivamente, final da Taça do Egito, em atraso da época 2020/2021, num jogo dirigido pelo árbitro polaco Szymon Marciniak.

Ler Mais
Comentários (2)

Últimas Notícias