«Iker seguiu em frente mesmo nos contratempos»

Tondela 23-10-2021 08:00
Por Pedro Cadima

Iker Undabarrena chega ao embate com o FC Porto como titular inquestionável de Pako Ayestarán nas últimas cinco jornadas. Consolidou-se no onze do Tondela, a justificar as razões de ter sido chamado a grande pérola de Lezama, academia do Athletic Bilbao.  Tinha 17 anos e era lançado em 2012 num jogo da Taça UEFA por Marcelo Bielsa.

 

Foram 13 minutos contra o Kyriat Shmona. O médio, fluente na linguagem de posse, fluído na circulação e perfeito na ocupação de espaços exibe apurada escola mesmo numa equipa mais condenada a defender. As bases de um jogo adulto e preciso estão lá, Iker assegura tranquilidade e astúcia, coberto de sabedoria… não tivesse sido presença regular nos trabalhos das jovens seleções espanholas, de sub-16 aos sub-19, acompanhando o benfiquista Grimaldo nos sub-19.


Aos 26 anos, o médio basco olhará para trás com a frustração de ter sido apontado como autêntico diamante em San Mamés mas acabou desviado da rota de sonho por uma maldição de duas graves lesões nos joelhos, que afetaram a  progressão quando estava na porta de entrada na equipa, pela filial.

«É um rapaz tímido, mas é uma grande pessoa, demonstrou mais que uma vez que quer ser futebolista, porque apesar de todos os graves contratempos, conseguiu sempre seguir em frente», elogia o espanhol, augurando impacto em Portugal, de acordo com o que prometera ainda juvenil.


«Ele tinha real destaque na sua geração e jogava com frequência nas seleções de Espanha. Espero que tenha a sorte que já lhe faltou e possa fazer uma grande temporada em Portugal», conclui.
 

Leia mais na edição impressa e digital de A BOLA.

Ler Mais
Comentários (0)

Últimas Notícias