«Semana nos Alpes vai ser brutal»

Ciclismo 06-05-2021 09:32
Por Fernando Emílio

Seis meses depois de se ter revelado como ciclista de primeiro plano e ter andado 15 dias com a camisola de líder no Giro, João Almeida, 22 anos, da Deceuninck-Quick Step está de novo na montra dos colunáveis da Volta à Itália, que arranca depois de amanhã.

 

«Não me considero favorito, alguns dos corredores que vão estar presentes são muito fortes, se ficar entre os 10 primeiros da geral já será um bom resultado. Considero Egan Bernal e Simon Yates como os principais candidatos, sem descartar Landa, Vlasov e Carthy, num grupo que poderá ser mais alargado com o decorrer das etapas», declarou a A BOLA.


«A montanha constitui a principal das muitas dificuldades que vão surgindo no dia a dia. Este ano não temos o Stelvio mas vamos subir o Zoncolan que faz parte da história do Giro. Às oito chegadas em altitude juntam-se mais umas quantas com final em plano, mas que para lá chegar temos que ultrapassar muita montanha. A última semana nos Alpes vai ser brutal com três chegadas em altitude em quatro dias, com destaque para os finais no Alpe di Mera e Alpe di Mota. Esta semana fizemos o reconhecimento da etapa que termina em Montalcino - nos últimos 70 km tem 35 km em terra batida e cascalho, num percurso traiçoeiro e com muitas armadilhas. Não me estou a queixar ou a arranjar desculpas, mas a constatar uma realidade que todos temos de enfrentar. Vai ser duro para mim como para todos».

 

Leia mais na edição impressa ou digital de A BOLA.

Ler Mais
Comentários (2)

Últimas Notícias

Mundos