Clarke, Gould, Maflin e Noppon brilham com o 'Rocket' na 1.ª ronda do Mundial

Snooker 06-08-2020 05:34
Por Redação

As vitórias do galês Jamie Clarke sobre o norte-irlandês Mark Allen (10-8), do inglês Martin Gould sobre o escocês Stephen Maguire (10-3), do norueguês Kurt Maflin sobre o inglês David Gilbert (10-8) e do tailandês Noppon Saengkham sobre o inglês Shaun Murphy (10-4 ao campeão mundial de 2005) marcam as surpresas maiores da primeira ronda do Campeonato do Mundo de Snooker, os 16avos de final da prova, que se iniciou a 31 de julho e está em curso até 16 do corrente mês, no Crucible Theatre, em Sheffield (Inglaterra).

 

Da primeira ronda, concluída na noite de quarta-feira com a sensacional vitória sem discussão de Gould sobre Maguire, destaque ainda para o recorde do jogo mais rápido no recinto, com Ronnie O’Sullivan, pentacampeão mundial (2001, 2004, 2008, 2012 e 2013) e o tailandês Thepchaiya Un-Nooh a concluírem o jogo (10-1 para o inglês) em 1 hora e 48 minutos: tempo médio de menos de 10 minutos por ‘frame’, com o inglês a apresentar tempo de tacada de 14 segundos para cada uma, a justificar a alcunha de ‘Rocket’ (foguete). O anterior recorde era de 2 horas e 29 minutos, no encontro entre o Shaun Murphy e o chinês Luo Honghao, em 2019… e o jogo acabou 10-0 para o britânico, teve menos um ‘frame’…

 

A segunda ronda, os oitavos de final, já se iniciou, com Kurt Maflin a continuar a fazer, para já, sensação: venceu o tetracampeão mundial (1998, 2007, 2009 e 2011) escocês John Higgins por 5-3 na primeira sessão de um jogo que se concluirá esta quinta-feira, e com um duelo de campeões do mundo, em que o inglês Stuart Bingham, campeão em 2015, conseguiu, ao vencer o último parcial da sessão inaugural (das três de cada jogo), atenuar para 3-5 ante o galês Mark Williams, tricampeão mundial (2000, 2003 e 2018).

 

Todos os olhos se concentram a ver como se sairá o inglês Mark Selby, tricampeão mundial (2014, 2016 e 2017) ante o tailandês Noppon Saengkham, em Judd Trump ante o chinês Yan Bingtao… mas em particular no duelo entre o ‘Rocket’ e o chinês Ding Junhui, campeão do UK Championship. Ding que não se livrou de drama e da 'negra' (10-9) ante Mark King, tal como o escocês Anthony McGill, que após estar a vencer por 9-6, viu o inglês Jack Lisowski igualar (9-9) noutro dos mais equilibrados duelos de um Mundial onde o suíço e lusodescendente (filho de mãe madeirense) Alexander Ursenbacher ainda esteve a vencer Barry Hawkins por 1-0 mas foi depois suplantado pelo inglês (2-10).

 

O Mundial, prova maior da época do World Snooker Tour, pontua para o ‘ranking’ e decorre até 16 do corrente mês. A prova distribui £2.235 milhões (€2,473 milhões) em prémios, das quais £500 mil (€553.274) ao campeão. Os jogos dos oitavos de final , tal como os dos ‘quartos’ são disputados à melhor de possíveis 25 parciais, em três sessões (oito ‘frames’ nas duas primeiras, possíveis nove da derradeira): até um jogador vencer 13 partidas (de 13-0 a possíveis 13-12).

 

As meias-finais da prova, transmitida para Portugal (EuroSport) já serão jogadas à melhor de 33 ‘frames’, em quatro sessões, até um conquistar 17 (de 17-0 a possíveis 17-16) e a final será jogada, também em quatro sessões, nos próximos dias 15 e 16 de agosto, à melhor de 35 ‘frames’: é campeão do Mundo quem ganhar primeiro 18 (de 18-0 a possíveis 18-17).

 

O inglês Judd Trump, número um mundial, defende o cetro conquistado em 2019 (18-9 a John Higgins na final) e tenta ser o primeiro, desde 1977, a quebrar a ‘maldição do Crucible’: campeão algum, depois de o ter sido em estreia, conseguiu bisar logo na edição seguinte da prova maior do planeta. Para já, sete países sonham ainda ter um seu representante a erguer o troféu mais apetecido, com a Inglaterra a ter sete profissionais, Escócia, China e Gales dois atletas cada um e Noruega, Tailândia e Austrália com um jogaodor ainda em prova nos oitavos de final... e nos 16 melhores.

 

16avos de final (apurados a negro):

Judd Trump-Tom Ford, 10-8

Kyren Wilson-Anthony Hamilton (Hamilton desistiu)

Stuart Bingham-Ashley Carty, 10-7

Ding Junhui-Mark King, 10-9

Mark Williams-Alan McManus, 10-5

John Higgins-Matthew Stevens, 10-5

David Gilbert-Kurt Maflin, 8-10

Neil Robertson-Liang Wenbo, 10-5

Ronnie O’Sullivan-Thepchaiya Un-Nooh, 10-1

Yan Bingtao-Elliot Slessor, 10-7

Jack Lisowski-Anthony McGill, 9-10

Shaun Murphy-Noppon Saengkham, 4-10

Mark Selby-Jordan Brown, 10-6

Mark Allen-Jamie Clarke, 8-10

Barry Hawkins-Alex Ursenbacher, 10-2

Stephen Maguire-Martin Gould, 3-10

 

Oitavos de final (hora local e de Portugal continenral):

Judd Trump-Yan Bingtao (14.30 horas, 6.ª feira 10 e 19 horas)

Martin Gould-Kyren Wilson (sábado 10 e 19 horas, domingo 13 horas)

John Higgins-Kurt Maflin, 3-5 (10 e 19 horas)

Anthony McGill-Jamie Clarke (6.ª feira 14.30 horas, sábado 14.30 horas, domingo 19 horas)

Mark Williams-Stuart Bingham, 5-3 (14.30 horas, 6.ª feira 10 horas)

Ding Junhui-Ronnie O’Sullivan (6.ª 19 horas, sábado 14.30 horas, domingo 19 horas)

Mark Selby-Noppon Saengkham (10 e 19 horas, 6.ª feira 14.30 horas)

Barry Hawkins-Neil Robertson (sábado 10 e 19 horas, domingo 13 horas)

Ler Mais
Comentários (1)

Últimas Notícias