«Sou testemunha de uma pessoa que não conheço»

Sporting 14-02-2020 10:46
Por Redação

Sousa Cintra considera que a sua presença no Tribunal de Monsanto para testemunhar no caso do ataque à Academia do Sporting é uma perda de tempo.

 

«Fiquei surpreendido (por ter sido notificado). Não sei o que venho aqui fazer, sou testemunha de uma pessoa que não conheço. É uma perda de tempo, mas temos de cumprir as ordens. (…) Só tenho de lamentar o que aconteceu. Os sportinguistas e os portugueses lamentam o que aconteceu. Não presenciei nada, não vou falar de coisas que não conheço. O que sei, vi nas televisões e nos jornais», disse aos jornalistas.

 

«Foi um dia triste para os sportinguistas e para os portugueses. Não beneficia ninguém. É desagradável falar de um assunto que podia ter sido evitado. Esta juventude devia procurar sempre algum bom senso em certas ocasiões, mas as paixões, as companhias… muita coisa pode acontecer», acrescentou.

 

Questionado sobre os relatos dos jogadores enquanto presidiu a SAD, como membro da Comissão de Gestão após o ataque: «Os jogadores já vieram dar os seus depoimentos, eles saberão explicar melhor. O que posso dizer é que venho ser testemunha de uma pessoa que não conheço. Tenho de colaborar, mas nem sei o que venho aqui dizer.»

 

«Espero que as coisas corram bem. A Justiça fará o seu trabalho e tomará as suas decisões. Condenações? Não vou falar de coisas que só à Justiça dizem respeito», concluiu.

Ler Mais
Comentários (8)

Últimas Notícias