Joyce abate Neil (4-3) com estrondo à 1.ª no Open da Irl. Norte

Snooker 12-11-2019 23:47
Por António Barroso

O inglês Mark Joyce, de 36 anos, apenas 52.º da hierarquia, fechou na noite desta terça-feira dois dias de jogos da 1.ª ronda do Open da Irlanda do Norte, prova da época 2019/2020 da World Snooker pontuável para o ranking e a decorrer até domingo, dia 17 do corrente mês no Waterfront Hall, em Belfast, a concretizar com estrondo a maior surpresa dos 64 duelos, ao vencer por 4-3 e eliminar do torneio, logo à primeira, o australiano Neil Robertson, de 37 anos, quarto da tabela (e campeão mundial em 2010), que ainda no domingo, dia 10, vencera a Champion of Champions.

 

Uma surpresa que até se poderia ter concretizado mais cedo e números mais carregados: 0-1 para Joyce nas cores, Neil a acusar cansaço em demasia e a falhar quando ía com 20 pontos no segundo parcial… e 0-2 para o inglês. Que só não foi logo 0-3 porque, com 47-47, Robertson venceu o duelo nas bolas de cor para atenuar (1-2) e logo depois, com entrada de 71 pontos, igualar (2-2). O jogador inglês aproveitou má saída do australiano (deixou uma vermelha embolsável) para limpar a mesa na quinta partida numa só visita: centenária de 137 pontos, e 2-3.

 

Uma vermelha longa bem arriscada permitiu, depois, a Mark Joyce, na sexta partida, embalar para a vitória no frame e no jogo: parou a 19 pontos, somou apenas mais um na segunda visita, mas à primeira aberta Neil limpou para forçar o 3-3 e a negra, onde se voltou a ver que o australiano tinha os tanques vazios: embolsou vermelha a jogar à azul, falta, e o inglês na mesa a embalar para entrada ganhadora a limpar a mesa com nova centenária (114 pontos), contra a esmagadora maioria das previsões, vai estar na 2.ª ronda, quarta-feira, diante do galês Jackson Page, 95.º da hierarquia.

 

Terceira grande surpresa a fechar os 64 jogos da 1.ª ronda, que já tivera na derrota do chinês Ding Junhui, 13.º da hierarquia, ante o inglês David Lilley, 112.º da tabela (2-4) sensação, a par do desaire do 11.º da hierarquia David Gilbert, ante o compatriota inglês Anthony Hamilton (3-4)

 

Por seu turno, no duelo desta terça-feira à noite que antecedeu a inesperada eliminação, logo à primeira, de Neil Robertson, outro dos favoritos, o inglês Ronnie O’Sullivan, de 43 anos, segundo da hierarquia mundial, qualificou-se para a 2.ª ronda ao vencer na 1.ª eliminatória o compatriota Oliver Lines, de 24 anos, 80.º da tabela mundial, por 4-2.

 

O Rocket, que poderá em Belfast conquistar feito inédito de um 37.º título em provas de ranking - e desempatar, neste particular de mais ganhador da era moderna desta variante do bilhar, com o escocês Stephen Hendry – já retirado, joga o circuito de Seniors, ambos somam 36 títulos nas provas de ranking - defronta quarta-feira, na 2.ª ronda, o adolescente chinês – de… 16 (!) anos (nasceu a 31 de maio de… 2003) Peifan Lei, 120.º da tabela mundial, que venceu o inglês Louis Heathcote, 93.º da hierarquia, por 4-2, esta terça-feira, na 1.ª ronda.

 

Um jogo em que se viu o Ronnie displicente do costume nas primeiras rondas dos torneios, descuidado a deixar a bola branca na parte inferior da mesa quando o jogo ofensivo falhava, e em que Lines, a vencer por 2-1, teve a chance de encostar o compatriota às cordas a 3-1… mas falhou e O’Sullivan acertou o passo para seguir na prova.

 

Susto enorme, depois de três centenárias dos três primeiros parciais ­– 106, 122 e 111 pontos, respetivamente, para chegar a 3-0 – apanhou o líder da hierarquia e campeão mundial, o inglês Judd Trump, de 30 anos, ante o compatriota James Cahill, 117.º da tabela mundial mas tomba-gigantes que, no último UK Championship afastou Mark Selby… e o Rocket no derradeiro Mundial, é forçoso recordar (6-3 e 10-8, respetivamente, e por esta ordem).

 

Combinação de vermelhas, com 0-32 para Judd na negra - depois de Trump ter falhado vermelha e bola de jogo para 4-0 na quarta partida (ficaram 35 pontos na mesa, para 33 de diferença, com Cahil a limpar… e 1-3) – poderia ter dado a James a entrada ganhadora no sétimo frame, já com 3-3… mas perdeu posição de embolsar bola de cor, falhou o snooker (esconder a branca) ao rival e o número um mundial não perdoou, para marcar duelo com o chinês Zhang Anda, 72.º do ranking, na 2.ª ronda.

 

Já o norte-irlandês Mark Allen, 7.º da hierarquia, ultrapassou o inglês Sam Craigie, 63.º do ranking, por 4-1 e defrontará na 2.ª ronda Jamie O’Neill, 114.º da hierarquia, que venceu o tailandês Sunny Akani, 50.º da tabela mundial, por 4-2.

 

Outros favoritos, como o escocês John Higgins, quinto da hierarquia, venceu o chinês Chang Bingyu, 92.º da tabela, por 4-3 e medirá forças com o polaco Kacper Filipiak, 117.º do ranking. Também o inglês Shaun Murphy, oitavo da tabela mundial não deu chances (4-0) a Fraser Patrick, 122.º da hierarquia para marcar encontro com o chinês Luo Honghao, 68.º da tabela mundial, que bateu Dominic Dale por 4-3.

 

A prova de Belfast pontua para o ranking e é a segunda das quatro Home Nations Series: distribui um prémio total de 405 mil libras (471.042 euros), das quais 70 mil libras (81.415 euros) ao campeão, e é transmitida em direto para Portugal (EuroSport), tendo sido ganha por Judd Trump em 2018 (9-7 a Ronnie O’Sullivan na final).

 

Mark Selby, que venceu o Open de Inglaterra, é o único habilitado esta época ao bónus suplementar de um milhão de libras (1,163 milhões de euros) da World Snooker, destinado ao profissional que vença os quatro torneios na mesma temporada – terá de ganhar ainda o Open da Escócia e o Open de Gales -, o que nunca sucedeu ainda. Para já, Selby, sexto da hierarquia, começou bem (4-2) ante o chinês Xu Si, 102.º da tabela mundial, com o asiático a desperdiçar a preta para o 3-1 a seu favor como momento do duelo e o inglês a não perdoar nos três parciais seguintes, para marcar encontro, quarta-feira, na 2.ª ronda, com o galês Matthew Stevens, 43.º do ranking.

 

Uma palavra ainda, em português, para a tenacidade d brasileiro Igor Figueiredo, 105.º do ranking, que forçou a negra (3-3) ante o inglês e 25.º do Mundo, Jimmy Robertson, mas o inglês foi mais forte (3-4). E referência obrigatória para a perfeição: a entrada máxima, de 147 pontos (15 vermelhas com 15 pretas, mais as seis bolas da sequência final de cores), conseguida pelo inglês Stuart Bingham no parcial inaugural da sua apertada vitória (4-3) ante o chinês Lu Ning.

 

Até aos oitavos em Belfast joga-se à melhor de sete parciais e até um jogador vencer quatro (de 4-0 a possíveis 4-3). Os quartos serão à melhor de nove partidas, até um ganhar cinco (de 5-0 a possíveis 5-4), as meias jogam-se à melhor de 11 partidas, até um chegar a seis (de 6-0 a possíveis 6-5).  A final do Open da Irl. Norte será jogada domingo, dia 17, à melhor de 17 frames: é campeão o primeiro a ganhar nove (de 9-0 a possíveis 9-8).

 

Principais jogos da 2.ª ronda, 4.ª feira (hora local e de Portugal continental):

 

Yan Bingtao-Marco Fu (10 horas)

Mark Selby-Matthew Stevens (13 horas)

Judd Trump-Zhang Anda (14 horas)

Mark Joyce-Jackson Page (16.30 horas)

Jamie O'Neill-Mark Allen (19 horas)  

Peifan Lei-Ronnie O’Sullivan (19 horas)

Kacper Filipiak-John Higgins (20 horas)

Shaun Murphy-Luo Honghao (20 horas)

Ler Mais
Comentários (0)

Últimas Notícias