Lito Vidigal: « Somos uma das melhores equipas a jogar futebol»

Boavista 09-11-2019 13:55
Por Redação

Na conferência de imprensa de antevisão ao jogo frente ao FC Porto, Lito Vidigal falou e refutou, depois da análise sobre aquilo que o Boavista levará para o jogo, um dos temas que mais tem marcado a atualidade do clube – as recentes críticas ao estilo de jogo da equipa.

 

Momento ideal para enfrenta o FC Porto? «Não existem momentos ideais. Nós é que temos que criar esses momentos constantemente. Vamos encontra um adversário forte, um candidato ao título crónico, sabemos que vai ser um jogo difícil. Também percebemos que todos os jogos são difíceis. É difícil somar pontos. Contra adversários deste calibre muito mais ainda, mas o que temos que fazer é acreditar naquilo que nós somos e respeitar o jogo, palmo a palmo com a intenção de vencer.»

 

O jogo do FC Porto frente ao Glasgow vai ter influência? «Nós falamos disso quando nos interessa. Quando nos interessa, dizemos que jogos de três em três dias ou quatro em quatro dias é pesado e quando não nos interessa dizemos que é irrelevante e que tempo suficiente para recuperar. Nós não pensamos nisso, até porque nós a semana passada fizemos três jogos e não viemos falar sobre isso. Portanto o que nós temos que fazer é pensar naquilo que o jogo nos pode dar, sermos extremamente competitivos e ter em mente sempre que é possível ganhar.»

Regresso ao banco do Boavista «Mais interessante seria perguntar porque é que estive afastado três jogos, porque eu não sei o que é que fiz para estar afastado três jogos, mas isso são dois pesos e duas medidas. Não há muito a falar sobre isso. Há que respeitar as decisões e continuar a trabalhar.»

 

«Momentaneamente é importante, até porque os treinadores têm que estar no banco, é essa a sua função.  É claro que o trabalho que é desenvolvido, é desenvolvido nos treinos, mas depois há pequenos ajustes e feelings e momentos em que é preciso decidir no momento, em que é preciso estar perto da equipa. No fundo, essa é a nossa função. Acho que os treinadores nunca deviam sair do banco», acrescentou.

 

Atitude do Boavista para o jogo frente ao FC Porto: «Ser igual a ela própria, igual ao que temos sido. Uma equipa solidária, uma equipa combatível, que sabe jogar bom futebol. Somos uma das melhores equipas a jogar futebol. Ficou demonstrado nos últimos jogos. Temos que perceber que o FC Porto é um adversário forte, que tem bons jogadores, que nesse sentido são mais fortes que nós, mas que coletivamente temos que equilibrar ou superar o FC Porto. Só assim podemos vencer.»

 

Críticas em relação ao estilo de jogo: «Isso tem que ver com as calúnias. Nós temos aqui um jogador que é extremamente ligado a isso, que é o Ackah. É um miúdo que se estreou este ano. Fez um jogo muito interessante, a primeira vez que jogou, mas depois para esconder algumas coisas, caluniaram esse miúdo, que é um jogador extremamente leal. A verdade é que esse jogador, nos jogos seguintes, no primeiro lance que ele disputou, que eu até tenho dúvidas se foi mesmo falta ou não, foi amarelado. O jogador é tão leal, é tão humilde, é tão sério, que acabou por fazer 90 minutos desses jogos todos sem levar um segundo cartão amarelo. Eu acho que este jogador tem sido totalmente injustiçado. A minha equipa, é uma equipa de trabalho, para além da qualidade que vem apresentando, é uma equipa que trabalha, que é extremamente profissional, que é leal e que às vezes, por causa dessas calúnias, é penalizada nesse sentido.»

 

Lembre-se que o Boavista irá para este jogo em sexto lugar da tabela classificativa, com 15 pontos, enquanto que o FC Porto parte em segundo lugar, com 25 pontos acumulados.

Ler Mais
Comentários (15)

Últimas Notícias