Soberbo Selby esmaga Gilbert (9-1) e conquista 16.º título no English Open

Snooker 20-10-2019 19:35
Por António Barroso

O inglês Mark Selby, de 36 anos, quinto do ranking (sobe a quarto já na atualização de segunda-feira, dia 21 do corrente) e tricampeão mundial (2014, 2016 e 2017), conquistou na noite deste domingo o seu 16.º título da carreira em provas de ranking da World Snooker, o English Open, ao vencer na final da prova da época 2019/2020, disputada neste dia na K2 Arena, em Crawley (Inglaterra), o seu compatriota  David Gilbert, de 38 anos, 11.º da hierarquia, por inequívocos 9-1, na final do torneio.

 

Uma final de sentido único e decidida na primeira sessão, em que Selby fez jus ao seu favoritismo e não deu chances, logo de entrada, ao compatriota: chegou a 5-0, e depois de David Gilbert se estrear no marcador - com o primeiro break centenário da final na sexta partida (101 pontos), a atenuar para 1-5 - a ampliar e responder de pronto no sétimo parcial, com o 6-1 selado também com entrada centenária (130 pontos), dentro do brilhantismo, a classe de grande campeão que todos lhe reconhecem, para fechar a primeira das duas sessões da final de Crauwley a cilindrar por expressivos 7-1… e a apenas dois parciais da vitória e de quebrar jejum de 13 meses sem um título: desde o China Championship de 2018 que o profissional de Leicester não levantava um troféu. Gilbert, esse, foi uma sombra de si mesmo, quase fez figura de corpo presente... e voltou a demonstrar claudicar no estofo quando chega a hora do tudo ou nada.

 

A confirmação surgiu na sessão noturna, sem problemas para Selby, que só precisou de dois frames para voltar cedo para Leicester com o cheque mais apetecido na carteira, e terminou com chave de ouro, a terceira centenária da final, sua segunda no jogo: 101 pontos. Já Gilbert terá, à quarta final perdida (em quatro jogadas) de repensar a abordagem na hora das decisões. O English Open, prova da época 2019/2010 da World Snooker pontuável para o ranking, terminou neste dia e atribuiu 405 mil libras (468.800 euros) de prémios, das quais 70 mil libras (81.027 euros) para Mark Selby – sucede a Stuart Bingham como campeão da prova – e 30 mil libras (34.736 euros) para David Gilbert.

 

Foi a primeira de quatro provas das Home Nations Series – com o Open da Irl. Norte, da Escócia e de Gales – e se o mesmo jogador vencer os quatro numa só época tem bónus: um milhão de libras (1,15 milhões de euros) suplementar da World Snooker. Só Mark Selby o pode conseguir em 2019/2020, ficou estabelecido neste dia.

 

Verdadeiramente impressionante o registo de Selby nesta final, a 13.ª que ganha... nas últimas 14 que jogou - desde que bateu Ronnie O'Sullivan por 18-14 na final do Mundial-2014 - o que resume o estar fadado para os grandes momentos. Em finais, desde abril de 2014 - em cinco anos e meio, atenção...- só o chinês Ding Junhui venceu Mark Selby numa final de prova de ranking: foi a 25 de setembro de 2016 (há mais de três anos), no Xangai Masters, então prova de ranking (deixou de ter esse estatuto VIP, entretanto).

 

 

Mark conseguiu 97 por cento de taxa de sucesso no jogo ofensivo, e falhou qualquer coisa como... sete (!) bolas para os buracos em dez frames, eficácia que aliou ao seu fabuloso e temível jogo defensivo, em que é exímio. Além das duas centenárias, mais cinco breaks de 68 ou mais pontos (88, 68, 79 e 85 pontos, respetivamente, até chegar a 4-0, em quatro parciais nos quais Gilbert anotou parcos... 14 pontos, a que somou ainda, além das duas entradas centenárias, uma outra de 97 pontos, já na sessão noturna, na nova partida, para o 8-1, então) resumem a fenomenal exibição de quem não ganhava um título em solo do Reino Unido há dois anos e meio: desde a final do Mundial-2017.

 

Com esta exibição de encher o olho, verdadeiro recital do profissional que ganhou três dos últimos seis Campeonatos do Mundo, Maik Selby gualou os 16 títulos em provas de ranking do australiano Neil Robertson como o sexto mais ganhador de sempre da era moderna desta variante do bilhar: acima, apenas o inglês Ronnie O'Sullivan e o escocês Stephen Hendry (já retirado do main tour, mas joga o circuito de Seniores), que somam ambos 36 títulos, o escocês John Higgins vem em terceiro, com 30 títulos, o inglês Steve Dais (já retirado) totalizou 28 e o galês Mark Williams contabiliza 22 títulos.

 

A prova seguinte do calendário da época 2019/2020 da World Snooker pontuável para o ranking é o Open Mundial (World Open), que irá decorrer de 28 do corrente mês a 3 de novembro em Yushan, na China. A prova asiática também será transmitida para Portugal (EuroSport) e distribui 772 mil libras (895.789 euros) de prémios, das quais 150 mil libras (174.052 euros) ao campeão: o galês Mark Williams venceu em 2018 (10-9 a David Gilbert).

 

Os dois primeiros da hierarquia mundial, os ingleses Judd Trump e Ronnie O ‘Sullivan, respetivamente, não jogaram as qualificações em Barnsley, e irão fazê-lo apenas no domingo, dia 27, cortesia da World Snooker e organização da prova chinesa: Trump irá defrontar o chinês Zhang Jiankang, enquanto O’Sullivan medirá forças com Dominic Dale. Também Ding Junhui, Yan Bingtao, Luca Brecel e Ken Doherty, entre outros, têm ainda o seu duelo das qualificações por realizar.

 

Sem parar: Championship League segunda-feira em Leicester

 

Todavia, o snooker não para e bem antes, dentro de pouco mais de 12 horas, já a partir das 10 horas da manhã de segunda-feira, dia 21 do corrente mês, e terça-feira, dia 22, vai disputar-se na Morningside Arena, em Leicester (Inglaterra) o Grupo 3 da Championship League, prova por convite (não pontua para o ranking), e que contará à mesa com Xiao Guodong, Tom Ford, Ben Woollaston, Graeme Dott, Kyren Wilson, Matthew Selt e Gary Wilson.

 

Nos dias 23 e 24 (quarta e quinta-feira) será a vez do Grupo 4 da Championship League, no mesmo palco, com Joe Perry, Ali Carter e Scott Donaldson à espera de quatro repescados do Grupo 3 (do 2.º ao 5.º classificado) para completar o septeto. Recorde-se que Neil Robertson e Stuart Bingham já venceram os Grupos 1 e 2 da prova: a fase final contará com sete vencedores de outros tantos grupos: ficarão por jogar-se, ainda, os Grupos 5, 6 e 7, além do Grupo Final.

 

Final do English Open, este domingo (campeão a negro):

David Gilbert-Mark Selby, 1-9

Ler Mais
Comentários (1)

Últimas Notícias