A institucionalização da sociologia do desporto (artigo de Vítor Rosa, 61)

Espaço Universidade 29-09-2019 14:59
Por Vítor Rosa

A sociologia é uma ciência que procura descrever, explicar e compreender o funcionamento da sociedade. Existem sociologias aplicadas a um domínio particular. A sociologia do desporto procura estudar o fenómeno desportivo como um fato social, a explicar a realidade desportiva composta de ações, de práticas e de comportamentos muito diferenciados(as) e de compreender as interações que se estabelecem entre a pluralidade desportiva e as organizações. Várias obras e artigos científicos sobre sociologia do desporto tentam suscitar o interesse por esta disciplina. De uma forma geral, os sociólogos começam a se interessar pelo fenómeno desportivo durante os anos sessenta. No entanto, surgem obras que, apesar de terem contribuído para a construção deste campo teórico, nem sempre se fundamentam numa perspetiva sociológica (Peter MacIntosh, 1963, na Grã-Bretanha, Georges Magnane, 1964, Jean Meynaud, 1966, e Michel Bouet, 1968, em França. Georges Magnane e Jean Meynaud são das ciências políticas. Michel Bouet vem da filosofia. George Magnane estuda o desporto na vida quotidiana com atividade de lazer e meio de cultura. Jean Meynaud analisa as complexidades e dimensões do universo desportivo, poderes públicos e conflitos internacionais. Michel Bouet aborda as funções sociais, educativas e culturais do desporto.

 

Os anos sessenta são marcados também pela institucionalização internacional da disciplina (Sociologia do Desporto). Com as diligências do polaco Andrzej Wohl, funda-se, em 1964, o Comité Internacional da Sociologia do Desporto (ICSS), no seio da Associação Internacional de Sociologia (AIS), criada em 1949, sob os auspícios da UNESCO. Em 1966, inicia-se a publicação da International Review for the Sociology of Sport (IRSS), e em 1994, é fundada a Associação Internacional da Sociologia do Desporto (ISSA).

Este nascimento, que se pode dizer recente para uma ciência, pode explicar, em parte, o pouco interesse dos científicos pelo desporto, em geral, e pelas fraquezas da estruturação universitária de formações desportivas (em França, por exemplo, a fileira STAPS – Sciences et Techniques des Activités Physiques et Sportives foi criada em 1981), em particular. Em Portugal, a sociologia do desporto foi integrada nos currículos das licenciaturas em Educação Física.

 

Em artigos anteriores, já referimos que o termo genérico “desporto” abrange um conjunto diversificado de práticas e de espetáculos, de imagens e de representações que derivam da cultura contemporânea, que tem funções sociais muito diversas (integradora e federativa, educativa e escolar, lúdica e recreativa, consumidora, espetáculo e mediática) e que participam nos mitos e realidades atuais. O sociólogo alemão, Norbert Elias vê no desporto o laboratório privilegiado para se refletir sobre as relações sociais e a sua evolução. O desporto inscreve-se nos modos e estilos de vida dos nossos contemporâneos. De fato, o seu desenvolvimento considerável interroga-nos sobre as normas que ele veicula e sobre os valores, que através dele, se partilham.

 

Vítor Rosa

Sociólogo, Doutor em Educação Física e Desporto, Ramo Didática. Investigador Integrado do Centro de Estudos Interdisciplinares de Educação e Desenvolvimento (CeiED), da Universidade Lusófona de Lisboa

 

Ler Mais
Comentários (0)

Últimas Notícias