«É um prazer ser um jogador das águias»

Eintracht Frankfurt 04-09-2019 08:38
Por Redação

Imagine André Silva, de 23 anos, formado no FC Porto e portista assumido, a afirmar que «é um prazer ser um jogador das águias».  

 

No último dia do mercado de transferências de verão nas principais ligas mundiais, o avançado trocou Milão por Frankfurt, cedido por duas temporadas pelo Milan ao Eintracht, clube que ostenta no emblema uma águia, à semelhança do Benfica.


«Em primeiro lugar, quero deixar saudações calorosas a todos os adeptos do Eintracht. Estou muito feliz por estar aqui e não vejo a hora de começar. Quero alcançar muitas coisas na minha nova equipa», disse André Silva ao canal televisivo do clube germânico.


«Vi uma série de partidas da última Liga Europa, porque participei na prova (oito jogos pelo Sevilha, 403 minutos em campo, zero golos). As excelentes exibições do Eintracht impressionaram-me na altura», elogiou, referindo-se a uma competição em que o seu novo emblema eliminou o Benfica nos quartos de final e só baqueou no desempate por penáltis em Londres diante do Chelsea - goleou na final o Arsenal (4-1) - nas meias-finais.


Amigos de longa data desde os tempos da formação no Olival, André Silva reencontra Gonçalo Paciência em Frankfurt: «Falei muito com o Gonçalo,  obviamente, contou-me bastante sobre o Eintracht. Depois disso, senti-me ainda mais motivado para jogar por este clube com adeptos fantásticos. O Gonçalo disse-me que apoiam a equipa do primeiro ao derradeiro segundo, independentemente das circunstâncias. Parece-me um lugar muito bom para jogar futebol, sempre com os estádios cheios.»


Desafiado a fazer um autorretrato, o internacional português privilegiou o aspeto coletivo do jogo.

 

«Sou um jogador que trabalha e luta muito em campo. Não gosto de me definir apenas pelo meu registo de golos, pois sou um jogador de equipa que gosta de ajudar os companheiros. Se conseguir fazer isto e também marcar golos, então melhor ainda», atirou.

O FUTURO COM O NOSSO PASSADO


Porque A BOLA não quer que o jornalismo deixe de ser o jornalismo de qualidade que se faz da grande história, da investigação e da grande reportagem – nós temos esse jornalismo (o jornalismo que fez com que se falasse de A BOLA como a Bíblia) para lhe continuar a dar.

Porque A BOLA não quer que o jornalismo deixe de ser o jornalismo do texto criativo e sedutor e da opinião acutilante que não se faz de cócoras ou de mão estendida – nós temos esse jornalismo para lhe continuar a dar…

… e para nos ajudar a manter e a melhorar esse jornalismo sério e independente com o timbre de A BOLA,

Junte-se a nós nesse novo desafio ao futuro, tornando-se nosso assinante.

ASSINE AQUI

A Edição Digital de A Bola

Ler Mais
Comentários (13)

Últimas Notícias