Filó apresentado e com contrato… «de mês a mês»

Paços de Ferreira 24-05-2019 15:54
Por Redação

Apresentado oficialmente como treinador do Paços de Ferreira, Filipe Rocha, conhecido no futebol por Filó, traçou os objetivos para a temporada 2019/20 que marca o regresso dos castores ao escalão máximo do futebol português.

 

«O objetivo primordial é alcançar a manutenção. Para um clube que acaba de subir de divisão, e para quase todos os outros tirando os que lutam pelo título e um ou outro que lutam pelas competições europeias, o objetivo é a manutenção. Obviamente que queremos acrescentar algo mais como a qualidade de jogo, potenciar jogadores, entusiasmar os adeptos e trazê-los ao estádio com a qualidade do nosso jogo e vitórias», disse o técnico, de 47 anos, que quer apresentar um Paços «ambicioso e a lutar pelos três pontos em todos os campos».

 

Para Filó, este será o primeiro projeto na Liga: «É uma estreia que acontece agora, mas podia ter acontecido há mais tempo. Tive propostas de clubes da 1.ª Liga que não aceitei por entender que não era o momento certo. O meu objetivo é crescer, subir degrau a degrau, até ao topo da carreira, com grandes clubes. Este é o projeto certo na hora certa. Estou mais maduro, melhor preparado, sou melhor treinador e a exigência do Paços é enorme. Temos de estar à altura para responder às exigências.»

 

Acompanhado dos adjuntos Pedrinha e Daniel Barbosa e do observador Hugo Silva, Filó regressa a uma casa que já representou enquanto jogador: «Se olharem às declarações de todos os que por aqui passaram, todos falam do mesmo, de um clube com um ambiente próprio e familiar. Não ganhamos os jogos todos e, como costumo dizer, as pessoas vêm-se nas derrotas. A forma como se lidou aqui com esses momentos é de uma elevação enorme. Isso faz dar o primeiro passo para a vitória. O Paços marca a diferença.»

 

Não foram, por isso, precisos muitos argumentos para aceitar o projeto liderado por João Meneses. «O presidente nem precisava dizer nada porque este clube tem uma história enorme. Passei aqui grandes momentos e tenho acompanhado o crescimento do clube, sempre no sentido certo, a tentar melhorar infraestruturas e preparando-se para os desafios do futebol de elite. O Paços quer estar entre os melhores clubes nacionais, já conseguiu qualificações europeias, jogou a Liga dos Campeões e é um clube com prestígio. Qualquer treinador gostaria de estar neste lugar», rematou.

 

Contrato por assinar com duração… de mês a mês

 

João Meneses assumiu que o facto de Filó ter jogado no clube foi importante, mas não determinante para a decisão final: «O conhecimento que ele tem da realidade do clube vai facilitar, com certeza. Mas isso não foi determinante na escolha. Houve critérios de avaliação e ponderação, e esse fator facilita, mas a escolha passou por mais que isso. Passou também por uma das conversas que tivemos da qual saímos sem dúvidas de que ele seria treinador e eu presidente.»

 

Questionado sobre a duração do contrato, o líder do clube assumiu que esse «é o único ponto que não foi discutido ao pormenor». «Não fizemos depender a escolha pela durabilidade do contrato. Até este momento, nenhum contrato está assinado e não o faremos depender da durabilidade. Temos um princípio que irá manter-se. O Filó que vir para o Paços e o Paços quer o Filó. Vamos ter uma duração no contrato porque é uma imposição legal, mas devo dizer que isso ainda não está definido entre nós. Acho que vai ser de mês a mês», rematou com ironia.

Ler Mais
Comentários (1)

Últimas Notícias