«Cabe ao selecionador montar o puzzle…»

Seleção 23-05-2019 12:52
Por Redação

Fernando Santos justificou as escolhas para a final-four da Liga das Nações, convocatória composta quase na totalidade pelos mesmos jogadores chamados para os últimos jogos com a Ucrânia e a Sérvia - apenas André Silva e João Mário foram preteridos.

 

«Nada tem a ver com segurança. Os critérios são simples e têm a ver com qualidade técnica e tática – estes são os primeiros critérios de escolha dos jogadores. O segundo é o compromisso com o jogo e com o grupo. Infelizmente para nós, este critério aplica-se a muitos jogadores que têm sido chamados. A assiduidade – participação em mais ou menos jogos – também é um critério. Quando temos um leque de opções alargado que cumpre todos estes critérios, é difícil escolher e só podemos chamar 23», referiu em conferência de imprensa, acrescentando de seguida:

 

«Depois, compete ao selecionador montar um puzzle, pensar nas características dos jogadores e o que podem dar em cada jogo e cada competição. Essa decisão foi a pensar na próxima competição que queremos ganhar.»

 

O técnico da equipa das Quinas lamentou ainda as condicionantes para preparar esta fase final da nova competição de seleções da UEFA: «Nesta fase da época, não temos o tempo de preparação habitual. Os jogadores fizeram um trabalho tremendo nos clubes, tiveram grande desgaste físico e mental, muitos a lutar por títulos. É importante recuperá-los mentalmente e isso consegue-se também com repouso no dia a dia. Na primeira semana, vamos ter treinos e dar aos jogadores a possibilidade de desfrutar com as famílias. Depois, no domingo, vamos concentrar-nos para jogar essa final.»

 

Ler Mais
Comentários (17)

Últimas Notícias