Manuel Monteiro garantiu a permanência e admite continuar na AD Oliveirense

Campeonato Portugal 22-05-2019 23:43
Por Nuno Vieira

Quando assumiu o comando técnico da AD Oliveirense, Manuel Monteiro deparava-se com um cenário negro. O quinto treinador da temporada aceitou o desafio de tentar assegurar a permanência do clube e assumiu as rédeas da equipa quatro pontos abaixo da linha de água da série A do Campeonato de Portugal.

 

Numa caminhada tão difícil como a turbulência que o clube foi conhecendo ao longo de toda a época, Monteiro ofereceu a tranquilidade necessária para a equipa conseguir um objetivo que parecia inalcançável, garantindo-o na última jornada, com um empate no terreno do Trofense, que ainda aspirava à subida à Liga 2. Era a concretização de um milagre, com a AD Oliveirense a não averbar qualquer derrota com o técnico salvador no banco e a garantir 16 pontos em oito jogos (quatro vitórias e quatro empates), numa média pontual que, à proporção de toda a temporada, daria para a equipa lutar para subir de divisão.

 

«Não diria que foi um milagre. Acreditei na capacidade dos jogadores e na qualidade do nosso trabalho. Quando fui apresentado ao plantel, disse convictamente que não íamos descer. Claro que houve desconfiança, mas logo a partir do primeiro jogo notei que o foco da equipa nesse objetivo era total e, com muita vontade e trabalho, acabámos a época a celebrar», salienta o treinador.

 

Apesar deste feito, não está garantida a sua continuidade no comando técnico do clube. A entrada dos investidores na SAD está iminente e só nessa altura ficará definido qual a via a seguir e qual o projeto para a próxima época. «Já houve uma abordagem, mas nada está definido. Admito continuar, até porque foi uma experiência positiva. Com condições e maior estabilidade no clube, poderemos fazer algo melhor e diferente», adianta o técnico.

 

Não é a primeira vez que Manuel Monteiro consegue a permanência de um clube no Campeonato de Portugal em cenários muito complicados. Há dois anos, assumiu o comando do Cesarense apenas com três pontos e saiu a cinco jornadas do fim com a salvação assegurada. Rumou ao Fafe para tentar idêntico feito na Liga 2, mas acabou por não conseguir evitar a descida na última jornada, após vistosa recuperação na tabela. Na época passada, fez uma pré-época imaculada e deixou o Fafe à segunda jornada, de forma inesperada, após uma vitória e um empate. Seguiu mais tarde para o Salgueiros, em busca de nova missão impossível, mas os bons resultados acabaram por não ser suficientes para manter o popular clube de Paranhos no Campeonato de Portugal. Nesta temporada, o milagre foi novamente possível, com Monteiro a ostentar a invejável marca de apenas uma derrota em 21 jogos nos últimos três clubes por onde passou.

 

«Os resultados revelam qualidade no trabalho, mas ao mesmo tempo não posso deixar de sentir alguma tristeza pelo facto de nunca ter tido um projeto com outras ambições», lamenta apenas o antigo lateral/médio esquerdo internacional de Esperanças por Portugal, que somou quase 400 jogos nos campeonatos profissionais.

Ler Mais
Comentários (0)

Últimas Notícias